17:55 15 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Patriarca Kirill, chefe da Igreja Ortodoxa Russa, é recebido pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, em Havana, 11 de fevereiro de 2016.

    Papa Francisco e Patriarca Kirill reconciliam as duas Igrejas após um milênio de divisão

    © REUTERS / Alexandre Meneghini
    Mundo
    URL curta
    1110
    Nos siga no

    O Papa Francisco chega nesta sexta-feira (12) a Havana, em Cuba, para um encontro histórico com o líder da Igreja Ortodoxa Russa, o patriarca Kirill, antes de iniciar sua viagem ao México.

    Francisco partiu de Roma às 07h45 no horário local e deve desembarcar no aeroporto José Martí às 14h00, no horário de Havana (17h no horário de Brasília), onde se dará a primeira reunião entre os líderes das duas Igrejas após uma ruptura de quase um milênio: o cisma de 1054 separou Ocidente e Oriente em duas civilizações opostas, salpicadas por um oceano de discrepâncias e uma visão de mundo que durante séculos pareciam irreconciliáveis.

    O papa decidiu antecipar seu voo para o México para conseguir fazer uma escala em Cuba, enquanto o patriarca ortodoxo, que já está na ilha, pretende fazer uma turnê de 11 dias por outros países da América Latina, incluindo o Brasil.

    O líder da Igreja Católica será recebido pelo presidente cubano, Raul Castro, que mediou a organização da histórica reunião em seu país. O presidente cubano recebeu Kirill na quinta-feira (11), no aeroporto.

    "Os povos da Rússia e de Cuba estão unidos por muitos anos de relações de cooperação e amizade", disse Kirill em um breve comentário aos jornalistas presentes na sua chegada. "E eu terei aqui uma oportunidade, conversando com as pessoas, de transmitir os bons votos do povo russo", acrescentou o patriarca.

    Kirill planeja visitar a comunidade ortodoxa na ilha caribenha e, depois de se reunir oficialmente com o presidente cubano, visitará uma escola de crianças com deficiência e assistirá a um concerto de música, de acordo com uma nota do Ministério das Relações Exteriores de Cuba.

    Como a Rússia celebra o Natal Ortodoxo
    © AP Photo / Ivan Sekretarev
    Além disso, ele também colocará uma coroa de flores diante da estátua do soldado soviético desconhecido, em homenagem aos mortos na II Guerra Mundial, e celebrará uma liturgia na Catedral Ortodoxa Russa em Havana.

    O patriarca não falou sobre o encontro com Francisco, que acontece hoje após quase 20 anos de intensas negociações e gestos de boa vontade, tais como a entrega, pelo Vaticano, de imagens sagradas para os russos.

    A situação mundial de crises e conflitos tornou urgente a reunião dos líderes das duas Igrejas mais importantes do mundo cristão. Além disso, existe uma preocupação comum a respeito das comunidades cristãs no Oriente Médio e no norte e centro da África, alvos de perseguição e genocídio. Inclusive, este será um dos temas abordados no encontro.

    "A Santa Sé e o Patriarcado de Moscou esperam que [o encontro]também seja um sinal de esperança para todas as pessoas de boa fé. Eles convidam todos os cristãos a orar fervorosamente para que Deus abençoe este encontro, que dê bons resultados", disse Raul Castro à imprensa local.

    Mais:

    Papa Francisco tenta aproximação entre Vaticano e China
    Papa Francisco clama por paz e misericórdia na tradicional mensagem Urbi et Orbi
    Líder da Igreja Católica na Alemanha defende redução do número de refugiados
    Tags:
    reconciliação, cristianismo, reunião, histórico, encontro, divisão, cisma, Igreja Ortodoxa, Igreja Católica, Kirill, Papa Francisco, Roma, Rússia, Cuba, Havana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar