09:39 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Especialistas em armas químicas e biológicas

    Daesh usou armas químicas e pode produzir gás mostarda, diz CIA

    © AFP 2019/ Daniel PIRIS
    Mundo
    URL curta
    1072

    Os jihadistas do Daesh usaram armas químicas na Síria e no Iraque, disse o diretor da CIA (Agência Central de Investigações dos EUA), John Brennan.

    “Temos um número de instâncias onde o ISIL [uma das siglas do grupo terrorista Daesh] usou munições químicas no campo de batalha”, disse Brennan em uma entrevista à CBS News.

    Ele acrescentou que o grupo terrorista possui capacidade de produzir pequenos volumes de gás mostarda e gás cloro e pode estar os exportando aos países ocidentais.

    O chefe da CIA assegurou que a inteligência está ativamente engajada na busca de armas químicas ou laboratórios que produzem tais substâncias na Síria e no Iraque.

    Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, apresenta o relatório anual da OTAN durante a conferência de imprensa em Bruxelas, Bélgica, 28 de janeiro de 2016
    © AFP 2019 / EMMANUEL DUNAND
    Na terça-feira (9) o diretor da Inteligência Nacional dos EUA, James Clapper, manifestou que uma investigação sobre o suposto ataque do Daesh na Síria em agosto revelou que pelo menos duas pessoas foram expostas ao gás mostarda.

    O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecido como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista de tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a se fortalecer, até se transformar, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

    Tags:
    gás mostarda, gás cloro, armas químicas, terrorismo, Daesh, Inteligência Nacional dos EUA, CIA, John Brennan, James R. Clapper, Iraque, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar