00:42 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Construção do gasoduto Nord Stream

    Estará a União Europeia disposta a reavaliar projeto do Nord Stream 2?

    © Sputnik / Igor Zarembo
    Mundo
    URL curta
    119

    O vice-presidente da Comissão Europeia, Moros Sefcovic, apelou para reiniciar a discussão sobre o gasoduto Nord Stream 2, informou o jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.

    Todas as partes interessadas no gasoduto Nord Stream 2 têm que reavaliar a viabilidade do projeto, disse Sefcovic.

    Ele apelou às partes para avaliar em conjunto a quantidade de gás que a UE necessitará nos anos mais próximos, revisar rotas de abastecimento de gás que já existem e encontrar uma solução razoável. Segundo ele, as partes podem decidir a favor de construção do Nord Stream 2 ou usar de forma mais eficiente as capacidades existentes inclusive as relacionadas com gás natural liquefeito.

    Ao mesmo tempo, Sefcovic expressou dúvidas de que o projeto de gasoduto corresponda à legislação.

    “Para mim, é difícil entender o Nord Stream 2 como um projeto puramente comercial. A possível construção do gasoduto alterará drasticamente o sistema de abastecimento de gás da Europa. Em resultado, a UE receberá 80% de gás russo através de uma única rota, violando as exigências de segurança energética”, afirmou Sefcovic.

    O embaixador da Alemanha na Rússia, Rudiger von Fritsch, não está de acordo com esta opinião.

    “O Nord Stream 2 é um projeto comercial. Há dois parceiros – o Gazprom (o gigante energético da Rússia – red.) e um consórcio de várias empresas europeias que se reuniram para realizar este projeto. Todos nós na Europa Ocidental estamos interessados em cooperar com a Rússia em uma base segura e de longo prazo na área energética e comprar à Rússia hidrocarbonetos”, afirmou o diplomata alemão.

    O embaixador afirmou que a Rússia tem confirmado a sua intenção de continuar a transportar gás através do território ucraniano. É bom que a Europa tenha várias rotas de transporte deste hidrocarboneto.

    Em setembro de 2015, a Gazprom assinou um acordo com as cinco maiores empresas energéticas europeias, entre as quais a Royal Dutch Shell e a E.ON, sobre a sua participação do projeto de construção de mais duas linhas do gasoduto submarino através do Mar Báltico, para fornecer 55 bilhões de metros cúbicos de gás russo à Alemanha.

    Em 4 de fevereiro, o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov disse que a construção do gasoduto aumentará a segurança energética da Europa. Enquanto a Alemanha está interessada no projeto, alguns membros da UE como a Polônia e a República Tcheca temem que o Nord Stream 2 aumente a sua dependência energética da Rússia.

    Tags:
    gás, construção, projeto, gasoduto, Corrente do Norte 2, Ucrânia, Rússia, Alemanha, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik