12:48 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    16242
    Nos siga no

    O Pentágono admitiu nesta quarta-feira (10) não dispor de quaisquer dados comprovando uma suposta presença de tropas terrestres russas na Síria, bem como dados concretos sobre supostos ataques da aviação russa na região síria de Aleppo.

    "Não temos evidências de que os russos estejam lá. Antes de tudo, eles estão no ar" – declarou o porta-voz oficial da entidade norte-americana, coronel Steven Warren, respondendo a uma pergunta de jornalistas.

    Daraya, subúrbio de Damasco e palco de combates entre o Exército Árabe Sírio e terroristas
    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Anteriormente, o chefe do ministério da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, havia descartado qualquer hipótese de uma operação terrestre russa na Síria. A mesma informação foi confirmada pelo presidente russo Vladimir Putin, bem como pelo ministério das Relações Exteriores do país.

    Comentando informações sobre suposto ataques aéreos da Rússia na região da cidade síria Aleppo, o representante do Pentágono também declarou não dispor de provas concretas comprovando tais fatos.

    "Não tenho dados precisos. Sei que mais de 200 munições foram lançadas durante as negociações pela paz na Síria em Genebra, bem no início delas" – declarou Warren.

    Na semana passada, militares sírios cortaram os principais rotas de abastecimento de terroristas, vindas da Turquia, no norte da província de Aleppo. Em seguida, mediante o apoio de milícias locais e das aviações da Rússia e da Síria, as tropas regulares conseguiram romper o cerco terrorista nas cidades de Nubl e Zahraa, libertando cerca de 70 habitantes.

    Mais:

    Rússia mostra 'tremendas capacidades' na Síria, diz Inteligência de Defesa dos EUA
    Lavrov: Rússia apresentou aos EUA 'plano absolutamente concreto' sobre a Síria
    Chancelaria: Rússia não bombardeia na Síria somente terroristas do Daesh
    Tags:
    tropas russas, provas, Pentágono, Steven Warren
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar