19:38 27 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    14432
    Nos siga no

    Os curdos sírios pretendem desenvolver uma parceria abrangente com Moscou.

    Esta colaboração incluirá, entre outros aspectos, a prevenção de fluxos ilegais de petróleo à Turquia, disse nesta quarta-feira (10) o presidente da recém-aberta representação do Curdistão Ocidental (autodeterminação dos curdos sírios) em Moscou.

    “Continuaremos cooperando com a Rússia sobre todos os assuntos, inclusive sobre o problema de fornecimentos ilegais de petróleo à Turquia”, disse Rodi Asman a jornalistas.

    Ele acrescentou que a colaboração com as empresas petrolíferas russas ainda não está na agenda.

    Moscou acusou várias vezes a Turquia de compra de petróleo clandestino vendido por grupos terroristas na Síria e no Iraque, inclusive o petróleo contrabandeado pelo Daesh.

    O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecida como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista da tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a fortalecer-se, até transformar-se, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

    Não há uma frente unida de combate contra o Daesh: contra o grupo lutam forças governamentais da Síria (com apoio da aviação russa) e do Iraque, a coalizão internacional liderada pelos EUA (limitando-se a ataques aéreos), assim como milícias xiitas libanesas e iraquianas. Uma das forças mais eficazes que combatem o Daesh são as milícias curdas, tanto no Curdistão iraquiano, como no Curdistão sírio.

    Tags:
    petróleo, Daesh, Turquia, Rússia, Síria, Curdistão sírio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar