19:23 22 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, durante a entrevista coletiva semanal em Moscou, 10 de fevereiro de 2016

    Chancelaria: OTAN não é capaz de proteger ninguém contra o terrorismo

    © Sputnik / Valery Melnikov
    Mundo
    URL curta
    Dia do Diplomata na Rússia (8)
    2412

    Em 10 de fevereiro comemora-se na Rússia o Dia do Diplomata, instituído em 31 de outubro de 2002. Neste dia a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Maria Zakharova, realiza uma entrevista coletiva semanal e comenta os assuntos mais importantes na agenda internacional.

    Zakharova afirmou que a falta de vontade aos EUA de partilhar informações sobre instalações terroristas na Síria gera preocupações.

    Negociações de paz na Síria

    A diplomata russa afirmou que as declarações sobre que é a Rússia que está culpada no fato de que as negociações em Genebra foram interrompidas são uma mentira. Sublinhou que mesmo um ano atrás ninguém podia imaginar negociações entre a oposição síria e o governo legítimo do país.

    “Hoje culpam-nos na interrupção destas negociações. Mas isso é uma mentira <…>. É uma desinformação absoluta de grau mais baixo”, disse a representante oficial da chancelaria russa.

    Operação aérea russa na Síria

    “Temos motivos [para pensar] que os Estados Unidos acumularam um volume grande de todos os tipos de dados, <…>, inclusive os de reconhecimento, sobre posições de terroristas no território da Síria. Porque os Estados Unidos não estão prontos a compartilhar estas informações com a parte russa? O que escondem ou querem esconder?”, perguntou, retoricamente, a diplomata.

    Além disso, ela disse que nos últimos tempos, têm crescido acusações relacionadas com ataques russos na Síria. “Parece que é uma tática”, disse.

    Segundo Zakharova, as afirmações de que a operação russa na Síria provoca um fluxo de migrantes é mal fundada. Centenas de milhares de migrantes chegaram para a Europa já um ano antes do início da operação russa na Síria.

    “Queria dizer que consideramos absolutamente inaceitáveis as declarações públicas dos representantes dos EUA sobre que a Rússia usa na Síria bombas não guiadas que alegadamente matam os civis. São invenções absolutas”, sublinhou Zakharova.

    Relações com Turquia

    Quanto à situação nas relações com a Turquia, Zakharova disse que a Turquia tenta fingir que Moscou ignora apelos ao diálogo, mas isso é um passo propagandista de Ancara. Além disso, a recusa de Ancara de reconhecer a sua culpa na morte do piloto russo e castigar os culpados não cria algumas premissas para reiniciar o diálogo bilateral.

    Implementação dos acordos de Minsk

    Segundo Zakharova, Kiev, com efeito, realiza uma sabotagem de acordos de Minsk. As autoridades ucranianas se reusaram a trabalhar com representantes de Donetsk e Lugansk sobre a reforma constitucional que prevê uma descentralização. Não está aprovada a lei da anistia que proíbe a perseguição das pessoas que foram envolvidas nos desenvolvimentos no leste da Ucrânia em 2014-2015. Além disso, Kiev não aspira a reconstruir as infraestruturas destruídas de Donbass.

    Relações com OTAN

    Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, apresenta o relatório anual da OTAN durante a conferência de imprensa em Bruxelas, Bélgica, 28 de janeiro de 2016
    © AFP 2019 / EMMANUEL DUNAND
    A representante oficial da diplomacia russa disse que a OTAN não é capaz de lidar com o terrorismo.

    “Todos estes reforços de grupos da OTAN, britânicas, americanas – conseguiram proteger alguém de terrorismo? <…> Com certeza, não, porque não são capazes de fazê-lo. São somente capazes de intimidar com “uma ameaça russa” usando isso como o pretexto para aumentar orçamento militar e instalar mais e mais forças”.

    Zakharova afirmou que é a hora de perceber que todos os países têm só um inimigo que é o terrorismo internacional.

    Tema:
    Dia do Diplomata na Rússia (8)
    Tags:
    diplomata, operação russa, resolução, ameaça, negociações, OTAN, Maria Zakharova, Turquia, Síria, EUA, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar