07:15 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã, capital do Irã

    Tio Sam não é bem-vindo: eleições no Irã acontecerão sem observadores americanos

    © flickr.com/ peyman abkhezr
    Mundo
    URL curta
    58412

    A Sputnik soube que, nas eleições parlamentares e para a Assembleia de Especialistas (órgão estatal que elege o líder supremo do país) previstas para 26 de fevereiro, não haverá observadores estrangeiros. Assim, as esperanças de três congressistas americanos que queriam “ver a democracia iraniana em ação” não se concretizarão.

    É de lembrar que os congressistas republicanos da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos Mike Pompeo, Lee Zeldin e Frank LoBiondo, segundo informa o jornal Hill, planejavam uma viagem ao Irã como observadores. Na última quinta-feira (4) eles solicitaram vistos no escritório que representa os interesses do Irã em Washington e enviaram uma carta na qual pediram apoio e patrocínio na organização da visita ao supremo líder do Irã aiatolá Ali Khamenei e ao chefe do Exército de Guardiães da Revolução Islâmica major-general Mohammad Ali Jafari. Na carta os congressistas chamaram as eleições de “acontecimento histórico”.

    Entretanto o Irã não está pronto a receber os autoproclamados convidados americanos.

    “A solicitação por congressistas americanos de vistos iranianos serve os interesses políticos e é apenas uma tentativa de criar ruído propagandista”, disse o vice-chanceler iraniano Majid Takht-Ravanchi citado pela agência IRNA. 

    “O Irã não permitirá a nenhuma pessoa ou país intervir nos assuntos internos da República Islâmica do Irã”, disse à Sputnik o conselheiro do presidente do parlamento iraniano em questões internacionais, Hossein Sheikholeslam.

    Ele também lembrou que os EUA são inimigos do Irã:

    “Nas eleições parlamentares não precisamos da presença de quaisquer observadores estrangeiros. Não há necessidade de representantes de outros países confirmarem a observância das leis iranianas e observarem ‘a democracia em ação’ no nosso país. A questão de realização de quaisquer eleições é uma questão política interna do Estado que, neste caso, somente concerne ao povo iraniano. Além disso, não nos devemos esquecer que os EUA são inimigos do povo iraniano… ”, disse Hossein Sheikholeslam. 

    Até o momento, o único político americano que visitou o Irã em visita de trabalho após o rompimento das relações diplomáticas entre os países em 1980 foi (e provavelmente será ainda por mais algum tempo) Jim Slattery. Em dezembro 2014, o ex-senador participou de uma conferência contra o extremismo que teve lugar em Teerã.

    Tags:
    eleições, observadores, Aiatolá Ali Khamenei, Teerã, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik