09:49 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ministério das Relações Exteriores russo

    Chancelaria: 'Turquia sabe o que deve fazer' para normalizar as relações com a Rússia

    © Sputnik / Maksim Blinov
    Mundo
    URL curta
    10181

    Em uma entrevista à agência de notícias RIA Novosti, o vice-chefe do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Aleksei Meshkov, não descartou que as relações entre Ancara e Moscou voltem a se normalizar.

    "A parte turca sabe perfeitamente o que deve fazer para que as relações russo-turcas voltem à normalidade. O que dizíamos há umas semanas não deixou de ser correto hoje", ressaltou Meshkov.

    Ou seja, segundo o diplomata: a Turquia deveria oferecer indenização à Rússia pelo Su-24 abatido em 24 de novembro, desculpas pelo fato e garantias de que uma situação parecida será excluída no futuro.

    "Em vez de agravar a situação, de apresentar umas pretensões completamente inventadas contra a Rússia, seria melhor olhar no espelho e fazer o que se faz no âmbito das relações interestatais civilizadas", disse o vice-ministro.

    Aleksei Meshkov já tinha apelado a parte turca a realizar estes passos, porém naquela altura, o secretário de imprensa da chancelaria turca, Tanju Bilgic, informou que Ancara não tem esta intenção.

    Golpe nas costas
    © Sputnik / Vitaly Podvitsky
    O bombardeiro russo Su-24 foi abatido em 24 de novembro de 2015 por um caça F-15 turco ao voltar à base síria de Hmeymim de um voo de combate contra as posições do grupo terrorista Daesh (também conhecido como "Estado Islâmico"). O presidente russo, Vladimir Putin, reagiu qualificando a ação da aviação turca de "um golpe nas costas" e assinando um decreto sobre medidas econômicas especiais em relação à Turquia.

    A Força Aeroespacial da Rússia está realizando uma operação antiterrorista na Síria a partir de 30 de setembro do ano passado, atentendo a um pedido correspondente de Damasco.

    Tags:
    Su-24, Ministério das Relações Exteriores, Tanju Bilgiç, Aleksei Meshkov, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik