11:05 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Uma miliciana da Unidade de Proteção do Povo (YPG) curda posa para uma foto com sua arma, na cidade síria de Ain Issi, cerca de 50 quilômetros norte de Raqqa, o chamado capital do Estado Islâmico.

    Comandante das YPJ: mulheres respondem por 45% das forças militares curdas na Síria

    © AFP 2018 / Delil Souleiman
    Mundo
    URL curta
    Campanha militar antiterrorista na Síria (132)
    9160

    As forças militares curdas na Síria, empenhadas no combate ao Daesh, são 45% femininas, e o número de mulheres só deve aumentar, declarou nesta quinta-feira a comandante das Unidades Femininas de Proteção (YPJ), Nesrin Abdalla, para a agência Sputnik.

    As Unidades Femininas de Proteção, lideradas pela interlocutora da Sputnik, não empreendem ataques aos terroristas, mas participam ativamente das operações de defesa. O objetivo das YPJ não é somente o combate ao Daesh, mas também a “mudança da mentalidade patriarcal no exército”, “não só a conquista do poder, mas mudança na sociedade, fazer com que esta se desenvolva”. 

    “Além do aspecto militar da vida, também existe o aspecto social, civil e jurídico. É preciso que as mulheres estejam presentes em todos os níveis, se elas querem ter a possibilidade de adquirir seus direitos e passar a ter igualdade na sociedade. Se não houver mulheres em algum desses níveis — no militar, ou no público, ou no diplomático, elas não conseguirão adquirir os direitos”, argumenta Nesrin Abdalla.

    As Unidades Femininas de Proteção (YPJ) foram criadas na Síria em 2013, como um braço feminino das Unidades de Proteção Popular (YPG).

    A Síria, desde março de 2011, vive um conflito militar. Como resultado, segundo a ONU, mais 220 mil pessoas foram mortas. As forças do governo sírio enfrentam bandos armados pertencentes a diversos grupos militares. As mais ativas são as organizações terroristas Daesh e Frente al-Nusra.

    Tema:
    Campanha militar antiterrorista na Síria (132)

    Mais:

    Batalhão de Mulheres Sírio no treinamento para acabar com Daesh
    EUA se contradizem dizendo que nunca forneceram armas aos curdos do YPG
    Em meio à guerra contra o Daesh, curdos pedem referendo pela independência
    O pior pesadelo de Erdogan: a aliança entre a Rússia e os curdos sírios
    Turquia exclui curdos sírios das negociações sobre Síria em Genebra
    EUA fecham os olhos a atrocidades da Turquia contra curdos
    Tags:
    milícias curdas, curdos, Guerra Civil Síria, Unidades Femininas de Proteção (YPJ), YPJ, YPG, Nasrin Abdallah, Curdistão sírio, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik