13:49 16 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados russos durante treinamento

    Moscou: OTAN tenta justificar sua própria existência ao falar em 'agressividade' russa

    © Sputnik/ Pavel Gerasimov
    Mundo
    URL curta
    17220

    As alegações da Organização do Tratado do Atlântico Norte sobre ataques nucleares simulados da Rússia durante exercícios militares fazem parte da propaganda utilizada pelo bloco para justificar sua própria existência, afirmou nesta quinta-feira o enviado do governo russo para a OTAN, Aleksandr Grushko.

    "Isso faz parte da agressiva campanha de propaganda da OTAN para provar sua utilidade, para justificar as manobras da aliança para reconstruir a Cortina de Ferro na Europa, bem como para encontrar uma desculpa para suas construções militares e expansão até as fronteiras russas", declarou Grushko em conversa com jornalistas em Bruxelas. 

    Nesta semana, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, divulgou o seu relatório anual (referente a 2015) com pesadas acusações sobre as intenções russas e chamando a atenção para o suposto perigo que a Rússia representa para a Europa. No documento, ele se refere às ações de Moscou como fatores imprevisíveis e desestabilizadores, e cita como exemplo simulações de ataques nucleares que as Forças Armadas russas teriam praticado em seus exercícios militares.  

    Para Gushko, as alegações de Stoltenberg soam ainda mais bizarras em um momento em que a Rússia tem feito de tudo para tornar suas atividades militares o mais transparentes possível. 

    Mais:

    De grão em grão: soldados de Montenegro podem ajudar OTAN
    Rússia: OTAN e Pentágono devem explicar ações turcas na Síria
    Rússia não quer confrontação absurda imposta pela OTAN
    Chancelaria: Declarações de que operação russa estimula guerra civil na Síria são absurdas
    Tags:
    cortina de ferro, ataque nuclear, OTAN, Alexander Grushko, Jens Stoltenberg, Bruxelas, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik