13:30 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Teste da bomba de hidrogênio da Coreia do Norte

    Rússia adverte Coreia do Norte contra escalada da tensão

    © AFP 2018 / Jung Yeon-Je
    Mundo
    URL curta
    4194

    A Rússia apelou rigorosamente à Coreia do Norte na quinta-feira (4) que se abstenha do lançamento de foguete planejado por este mês, dizendo que tais medidas podem escalar ainda mais a tensão no nordeste da Ásia, disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

    A mensagem foi pessoalmente transmitida pelo vice-ministro russo, Igor Morgulov, ao embaixador da Coreia do Norte para a Rússia, Kim Hyeong-jung

    "Um apelo firme foi dirigido à Coreia [do Norte] de se abster das atividades capazes de resultar numa nova escalada de tensão no nordeste da Ásia e de assegurar a observação completa das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, e de voltar ao formato da resolução política e diplomática da questão nuclear e outras questões na península coreana", disse o Ministério das Relações Exteriores no comunicado.

    Pyongyang notificou as agências da ONU na terça-feira (2) do seu plano para lançar o que chamou de um “satélite da observação da Terra" em algum momento entre 8 e 25 de fevereiro.

    Além disso, uma edição americana-sul-coreana 38 North informou de que um satélite notou a atividade no polígono norte-coreano desta manhã.

    “As fotografias recentes do satélite comercial apontam à atividade aumentada do polígono de Tongchang-ri”, diz-se na edição.

    O site salienta que tal nível da atividade corresponde àquele que foi notado em 2012, durante o último lançamento.

    Em 2012 a Coreia do Norte anunciou o programa de longo prazo de lançamento de mísseis que, segundo especialistas, é uma parte do desenvolvimento dos mísseis balísticos.

    Mais:

    Ministro da Defesa do Japão ordena abater foguete norte-coreano em caso de ameaça
    Kerry: Coreia do Norte é ameaça para o mundo
    Tags:
    teste, mísseis balísticos, Igor Morgulov, Coreia do Norte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik