11:21 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    026
    Nos siga no

    Investidores estrangeiros continuarão tendo acesso à Rússia não vão ser negados ao direito de participar do próximo processo de privatização no país, segundo afirmou nesta terça-feira (2) o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

    "A Rússia sempre foi e continua a ser um país aberto ao investimento estrangeiro. A Rússia está interessada em adquirir novos parceiros estrangeiros", disse o funcionário, em entrevista coletiva.

    Na segunda-feira (1º), o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que as participações em empresas estatais só deverão ser vendidas a compradores registrados na Rússia, ou seja, que estejam sob jurisdição do país, e acrescentou que a transferência de ações para mercados estrangeiros seria inaceitável.

     

    Comentando a declaração, Peskov esclareceu que o presidente se referia aos investidores locais.

    "A Rússia sempre foi interessada em investimentos estrangeiros, nós apreciamos a nossa cooperação com aqueles que continuam a trabalhar no mercado russo, e estamos interessados ​​em novos investimentos, é claro", ressaltou o porta-voz.

    O governo russo espera receber mais de um trilhão de rublos (US$ 12,8 bilhões) na primeira etapa da nova onda de privatização de empresas estatais, segundo informou o jornal Vedomosti nesta terça-feira, citando autoridades federais não identificadas.

    Em meio à queda global dos preços do petróleo – cuja receita de exportação constitui uma das maiores fontes do orçamento russo – o Kremlin está considerando retomar o processo de privatização no país.

     

    Na segunda-feira, Putin se reuniu com os presidentes de grandes estatais russas, como a petroleira Rosneft, a companhia aérea Aeroflot, a mineradora Alrosa, o banco VTB, as Ferrovias Russas e o estaleiro Sovcomflot, a fim de discutir os planos de privatização para este ano.

    Segundo determinou o presidente russo, porém, todos os acordos de privatização deverão ser totalmente transparentes e os ativos deverão ser vendidos a preços realistas, não abaixo dos preços de mercado. Putin também assegurou que o Estado manterá o controle sobre empresas estratégicas para evitar que ativos privatizados saiam da jurisdição russa.

    De acordo com o ministro do Desenvolvimento Econômico russo, Aleksey Ulyukaev, o país deve começar o processo de privatização o mais rapidamente possível.

     

    "A situação orçamental é muito crítica; a turbulência geral dos mercados financeiros não dá razões para esperar alguma melhora, recuperação. Agora, o desafio é fazer (…) acordos eficientes e transparentes, quando o mercado é extremamente desfavorável ", disse ele, citado pela RT.

    Mais:

    Ministro da Energia venezuelano visitará Rússia para discutir preços de petróleo
    Presidente do Irã diz que preços de petróleo voltarão a subir
    Mídia: mundo está à beira de uma nova crise econômica
    OCDE sobre BRICS: Brasil e China dão sinal de estabilização econômica
    Tags:
    Rússia, Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Rosneft, Aeroflot, VTB, Ferrovias Russas, Alrosa, Sovcomflot, Kremlin, privatização, empresas estatais, petróleo, preço do petróleo, queda, economia, crise, ações
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar