01:52 24 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin

    Kremlin: Privatização das estatais russas está aberta a investidores estrangeiros

    © Sputnik / Alexei Danichev
    Mundo
    URL curta
    426

    Investidores estrangeiros continuarão tendo acesso à Rússia não vão ser negados ao direito de participar do próximo processo de privatização no país, segundo afirmou nesta terça-feira (2) o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

    "A Rússia sempre foi e continua a ser um país aberto ao investimento estrangeiro. A Rússia está interessada em adquirir novos parceiros estrangeiros", disse o funcionário, em entrevista coletiva.

    Na segunda-feira (1º), o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que as participações em empresas estatais só deverão ser vendidas a compradores registrados na Rússia, ou seja, que estejam sob jurisdição do país, e acrescentou que a transferência de ações para mercados estrangeiros seria inaceitável.

     

    Comentando a declaração, Peskov esclareceu que o presidente se referia aos investidores locais.

    "A Rússia sempre foi interessada em investimentos estrangeiros, nós apreciamos a nossa cooperação com aqueles que continuam a trabalhar no mercado russo, e estamos interessados ​​em novos investimentos, é claro", ressaltou o porta-voz.

    O governo russo espera receber mais de um trilhão de rublos (US$ 12,8 bilhões) na primeira etapa da nova onda de privatização de empresas estatais, segundo informou o jornal Vedomosti nesta terça-feira, citando autoridades federais não identificadas.

    Em meio à queda global dos preços do petróleo – cuja receita de exportação constitui uma das maiores fontes do orçamento russo – o Kremlin está considerando retomar o processo de privatização no país.

     

    Na segunda-feira, Putin se reuniu com os presidentes de grandes estatais russas, como a petroleira Rosneft, a companhia aérea Aeroflot, a mineradora Alrosa, o banco VTB, as Ferrovias Russas e o estaleiro Sovcomflot, a fim de discutir os planos de privatização para este ano.

    Segundo determinou o presidente russo, porém, todos os acordos de privatização deverão ser totalmente transparentes e os ativos deverão ser vendidos a preços realistas, não abaixo dos preços de mercado. Putin também assegurou que o Estado manterá o controle sobre empresas estratégicas para evitar que ativos privatizados saiam da jurisdição russa.

    De acordo com o ministro do Desenvolvimento Econômico russo, Aleksey Ulyukaev, o país deve começar o processo de privatização o mais rapidamente possível.

     

    "A situação orçamental é muito crítica; a turbulência geral dos mercados financeiros não dá razões para esperar alguma melhora, recuperação. Agora, o desafio é fazer (…) acordos eficientes e transparentes, quando o mercado é extremamente desfavorável ", disse ele, citado pela RT.

    Mais:

    Ministro da Energia venezuelano visitará Rússia para discutir preços de petróleo
    Presidente do Irã diz que preços de petróleo voltarão a subir
    Mídia: mundo está à beira de uma nova crise econômica
    OCDE sobre BRICS: Brasil e China dão sinal de estabilização econômica
    Tags:
    ações, crise, economia, queda, preço do petróleo, petróleo, empresas estatais, privatização, Kremlin, Sovcomflot, Alrosa, Ferrovias Russas, VTB, Aeroflot, Rosneft, Vladimir Putin, Dmitry Peskov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar