07:47 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Exércicios antiterroristas do FSB, Rússia

    Ministro grego: EUA e UE devem trabalhar com a Rússia contra terrorismo

    © Sputnik / Igor Zarembo
    Mundo
    URL curta
    241
    Nos siga no

    Imaginar que a Rússia representa uma ameaça ao Ocidente é uma fantasia da Guerra Fria de um filme de James Bond, disse o ministro da Defesa grego Panos Kammenos durante uma conferência em Atenas, informa a RIA Novosti.

    Os medos ocidentais de uma ameaça da Rússia são baseados na ficção da Guerra Fria e os EUA e a União Europeia devem trocar informações com Moscou para enfrentar o terrorismo e a crise migratória, manifestou Kammenos.

    “Devemos manter uma cooperação com a Rússia, trocar informação sobre o inimigo comum: o terrorismo”, declarou.

    “Deve haver uma cooperação internacional na troca de dados. A inteligência militar deve trocar informação com a OTAN e a UE, mas também com os países amigáveis. Os ministros da OTAN evitam uso da palavra ‘Rússia’, mas porque não? Devemos cooperar com a Rússia, não nos esqueçamos dos terroristas chechenos que atacaram a Maratona de Boston”.

    Em abril de 2013 Tamerlan Tsarnaev e Dzhokhar Tsarnaev, irmãos de origem chechena, instalaram duas bombas à chegada da Maratona de Boston, que mataram três pessoas e feriram pelos menos 264. Mais tarde tornou-se público que as autoridades russas tinham avisado o FBI e CIA em 2011 que Tamerlan Tsarnaev poderia ter ligações a islamistas radicais.

    Na conferência, Kammenos também enfatizou que qualquer ameaça à Europa vem não da Rússia, mas sim do terrorismo com origem no Oriente Médio e África do Norte. 

    “Nos países ocidentais há um medo, mas falar agora de um inimigo a norte é como escrever um roteiro para [um filme] de James Bond; tal não existe. Desde o fim da Guerra Fria não há ameaça a norte. O inimigo está no sul, no Oriente Médio e na África do Norte. Tem muito dinheiro e usa os próprios cidadãos de países ocidentais, imigrantes de segunda e terceira geração como na França, eles têm laços com o fluxo de migrantes e refugiados”.

    O ministro da Defesa também se referiu à necessidade de cortar o financiamento de grupos terroristas e reiterou a sua acusação, apoiada pela Rússia e Israel, de que a Turquia assiste o grupo terrorista Daesh na coleta de fundos necessários para o terrorismo.

    “O vice-presidente dos EUA Joe Biden, o governo russo, o ministro da Defesa de Israel, todos fizeram declarações sobre isto”, disse Kammenos.

    Lembramos que, em 26 de janeiro, Panos Kammenos teve uma reunião com o seu homólogo israelense Moshe Yaalon na qual eles discutiram o apoio da Turquia ao Daesh e exprimiram a esperança que Ancara mude a sua política.

    O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecido como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista de tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a fortalecer-se, até transformar-se, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

    Tags:
    cooperação, terrorismo, Daesh, Tamerlan Tsarnaev, Dzhokhar Tsarnaev, Panos Kammenos, Israel, Grécia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar