14:38 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque, cidade de Mosul. 25 de junho de 2014

    Relatório da ONU alerta para grandes perdas de civis iraquianos por ataques terroristas

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    101
    Nos siga no

    Cerca de 850 pessoas morreram e 1500 ficaram feridas no Iraque em janeiro deste ano por conta de atos de violência e terrorismo. A informação foi divulgada pela Missão de Assistência das Nações Unidas para o Iraque (UNAMI).

    “Um total de 849 iraquianos foram mortos e 1.450 ficaram feridos como consequência dos atos de violência, terrorismo e conflito armado no Iraque em janeiro de 2016", diz o comunicado.

    As baixas de soldados durante este período foi de 359 pessoas. 293 soldados ficaram feridos.

    No Iraque, a situação permanece tensa em conexão com as atividades do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico), que tomou parte do território do país. Os militantes do Daesh realizam ataques e atos de terrorismo, em sua maioria, atingindo vítimas civis.

    Em três anos, os terroristas conseguiram capturar grandes áreas do Iraque e da Síria. Além disso, eles buscam espalhar sua influência nos países do Norte de África, em particular na Líbia. De acordo com várias estimativas, a área controlada pelo Estado Islâmico atinge 90 mil quilômetros quadrados. Os dados sobre o número de militantes das organizações extremistas também variam — de 50 mil a 200 mil combatentes.

    Mais:

    Iraque lidará com Daesh sem forças norte-americanas
    Quem vai combater no terreno pelos EUA no Iraque?
    Coalizão liderada pelos EUA utilizará forças terrestres na Síria e no Iraque
    EUA aprovam venda bilionária de armamentos para o Iraque
    Cientista político: Europa não sabe como resolver crises na Síria e Iraque
    Tags:
    mortes, civis, violência, terrorismo, Estado Islâmico, Daesh, ONU, Síria, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar