10:40 26 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    4215
    Nos siga no

    O assédio de cidades sírias, inclusive Madaya, onde as pessoas estão morrendo de fome, pode ser classificado como crimes de guerra e crimes contra a humanidade, manifestou durante um briefing em Genebra o alto comissário da ONU sobre os direitos humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein.

    “É claro que quando olhamos para os casos recentes de fome forçado em Madaya, assim como a existência de 15 cidades cercadas, tudo isto não são simplesmente crimes de guerra, são crimes contra a humanidade, se for provado, E são questões muitos sérios”, disse.

    “No caso da Sìria devemos fazer lembrar todos que onde os suspeitos ultrapassam o limite e tornam-se crimes e crimes contra a humanidade, a anistia é inadmissível”, acrescentou o alto comissário.

    A organização internacional Médicos sem Fronteiras anteriormente informou que apesar de fornecimento de ajuda humanitária para uma das cidades cercadas na Síria, Madaya, pessoas continuam morrendo de fome. Assim, desde o início deste ano 16 pessoas faleceram de inanição em Madaya. A situação nesta pequena cidade de 20 mil habitantes é extremamente grave porque nela quase não há médicos. O transporte com remédios e produtos alimentícios é frequentemente detido nos postos de controle e como resultado a carga não chega até os habitantes. As ambulâncias também não conseguem passar.

    Segundo os dados da organização, até 2 milhões de pessoas permanecem em territórios cercados tanto pelas forças leais ao presidente Bashar Assad, como pelas forças de grupos oposicionistas.

    A Síria está em estado de guerra civil desde 2011. O governo do país luta contra um número de facções de oposição e contra grupos islamistas radicais como o Daesh (também conhecido como “Estado Islâmico”) e a Frente al-Nusra.

    Tags:
    exército, justiça, crimes contra a humanidade, ONU, Madaya, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar