02:46 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    13116
    Nos siga no

    A OTAN mantém sua capacidade de "permanecer forte", a fim de dissuadir e prevenir contra conflitos militares, segundo o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg, afirmou na sexta-feira (22).

    A OTAN tem aumentado sua presença na Europa Oriental desde a reunificação da Crimeia com a Rússia, em março de 2014, enquanto o Ocidente se recusa a reconhecer um referendo legítimo e culpa Moscou por violar a integridade territorial ucraniana.

    A Rússia negou as acusações e afirmou repetidamente que o aumento das atividades do bloco perto de suas fronteiras mina a estabilidade regional e internacional.

    "Nós sempre tivemos uma perspectiva de longo prazo de ambos sendo capazes de se adaptar a medida que o ambiente de segurança muda, mas também de uma forma a tratar do impensável como, por exemplo, da guerra nuclear. A forte dissuasão é parte do que a OTAN está fazendo, porque se acreditarmos que permanecemos fortes, então seremos capazes de na verdade dissuadir e impedir a guerra", disse Stoltenberg durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos.

    Ele acrescentou que a vontade de ser forte não significa que a aliança queira começar uma guerra, mas sim garantir que nenhum rival possa atacar um membro da OTAN.

    Mais:

    OTAN promete aumentar sua presença militar na Polônia
    Ex-ministro alemão: Ucrânia não fará parte da OTAN
    Conselho OTAN-Rússia pode renascer, diz ministro alemão
    Rússia: 'especulação sem escrúpulos' o relato de que Moscou considera OTAN uma ameaça
    Tags:
    Rússia, Europa, Europa Oriental, Crimeia, Davos, Jens Stoltenberg, OTAN, Fórum Econômico Mundial
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar