00:58 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Entrada do Mnistério do Interior da Índia em 12 de janeiro de 2016

    Índia detém militantes do Daesh

    © AFP 2017/ MONEY SHARMA
    Mundo
    URL curta
    143821

    As forças antiterroristas da Índia detiveram, na manhã desta sexta-feira (22), em Mumbra (estado indiano de Maharashtra) uma pessoa que pode ter ligações com o grupo terrorista Daesh (também conhecido como Estado Islâmico). A Sputnik obteve esta informação de uma fonte no Ministério do Interior indiano.

    Mais cedo, o jornal Times of India relatava que uma operação nacional resultou na detenção de seis pessoas em outros locais do país, nomeadamente nas cidades de Bangalore, Mangalore e Tamakuru do estado de Karnataka (sudoeste do país).

    Em um comentário à Sputnik, a fonte no ministério disse que o "governo indiano realmente assume o compromisso porque cada vez mais indianos caem sob a influência do Estado Islâmico".

    Na semana passada, no sábado, o ministro Rajnath Singh teve um encontro com as agências de inteligência, inquérito e com a polícia de 13 estados do país para discutir as vias de combater o Daesh, grupo terrorista considerado ilegal na Rússia e em outros vários países.

    Paquistão

    Além disso, nesta sexta, a fonte na pasta informa que o ministro Singh está mantendo uma reunião com os militares do país sobre a situação na fronteira com o Paquistão.

    "Da reunião participarão representantes das forças de segurança nas fronteiras e das forças terrestres da Índia", disse a fonte.

    O principal assunto a ser discutido é o ataque contra a base aérea indiana de Pathankot, situada na fronteira com o Paquistão. Sete militares e um civil morreram durante o ataque, seis militantes paquistaneses foram eliminados.

    Salwinder Singh, superintendente da polícia de Guardaspur, chega à Agência Nacional de Investigação (NIA) da Índia para ser interrogado, em 12 de janeiro de 2016. Singh tinha sido sequestrado por militantes paquistaneses antes do ataque à base aérea de Pathankot
    © AFP 2017/ MONEY SHARMA
    Salwinder Singh, superintendente da polícia de Guardaspur, chega à Agência Nacional de Investigação (NIA) da Índia para ser interrogado, em 12 de janeiro de 2016. Singh tinha sido sequestrado por militantes paquistaneses antes do ataque à base aérea de Pathankot

    A inteligência da Índia informou que o ataque foi perpetrado por um grupo islamista da região disputada de Jammu-Caxemira. Em 13 de janeiro, as autoridades do Paquistão detiveram vários membros deste grupo.

     

    Tags:
    inteligência, polícia, Daesh, Ministério do Interior, Paquistão, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik