00:36 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    21106
    Nos siga no

    Na terça-feira (19), a agência norte-americana Bloomberg publicou a lista dos países mais inovadores do mundo. A Rússia mostra um bom resultado.

    O indicador Bloomberg Innovation Index é composto de vários elementos. São eles a intensidade das pesquisas e desenvolvimento, produção de valor adicionado, produtividade, densidade de altas tecnologias, número de pesquisadores, atividade ligada a patentes e qualidade da força de trabalho. 

    Motores a jato dum foguete russo
    © Sputnik / Vladimir Bogatyrev
    O líder da lista publicada pela Bloomberg é a Coreia do Sul. Esta avaliação foi dada ao país porque tem altos indicadores no que toca à porcentagem de população que fez ou está fazendo o curso do ensino superior, número de graduados em ciências ou engenharia, bem como a produção de valor adicionado. O seu índice equivale a 91.31 pontos.

    Entre os cinco países mais inovadores estão também a Alemanha (85.54 pontos), a Suécia (85.21), o Japão (85.07) e a Suíça (84.96). Os EUA ocuparam 8º lugar (82.84) e a França – o 10º (80.39). A Rússia está na 12ª posição (78.85) na lista e faz parte dos 15 países mais inovadores do mundo. Entre os países do BRICS é a posição mais alta. A China ocupa o 21º lugar com 72.12 pontos e a Índia – o 45º com 52.76 pontos. O Brasil não foi incluído na lista.

    Segundo os pesquisadores, a China, a segunda maior economia do mundo, está longe do topo porque ainda não produz muitas tecnologias próprias.

    Quanto à representação regional, a lista inclui países de todas as regiões mas em diferentes medidas. A África está representada pela Tunísia e Marrocos, enquanto a América Latina está representada somente pela Argentina. Seis das 10 economias mais inovadoras são da Europa, três da Ásia e uma da América do Norte que, segundo a Bloomberg, prova que, em termos de tecnologias e inovações, a Europa ainda está à frente do resto do mundo.

    Tags:
    rating, inovação, Bloomberg, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar