08:01 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidentes de Argentina e Brasil, Mauricio Macri e Dilma Rousseff
    © AFP 2017/ Evaristo Sa

    Acordo Brasil-Argentina acaba com burocracia na fronteira

    Mundo
    URL curta
    71516122

    Com a homologação do acordo de fronteira de Brasil e Argentina, a Polícia Federal vai emitir a Carteira de Trânsito Vicinal Fronteiriço aos argentinos que moram nas cidades de fronteira entre os dois países. A medida tem como objetivo reduzir a burocracia, agilizando a circulação das pessoas na região.

    A Argentina já vinha fornecendo aos brasileiros residentes na fronteira a identidade para facilitar o trânsito livre na região. Agora, com o acordo assinado pela Presidenta Dilma Rousseff, a Polícia Federal brasileira também vai poder fornecer a carteira aos residentes fronteiriços argentinos.

    Em dezembro de 2015 a Senadora Ana Amélia (PP-RS) visitou as cidades de Uruguaiana e Paso de Los Libres e testemunhou a demora no processo de entrada no Brasil – e como isso prejudicava os cidadãos dos dois países. E Ana Amélia alerta para o fato de que neste mês de janeiro, com o aumento do número de turistas seguindo para as praias brasileiras, a espera para atravessar a fronteira entre os países chega a ser de 4 horas.

    Para a senadora, o acordo vai corrigir uma falha que tornava muito difícil a rotina dos moradores do Brasil e da Argentina. A parlamentar gaúcha destaca ainda como vantagens da emissão do documento a ampliação e o incentivo cada vez maior para incrementar o turismo e a integração regional entre Brasil e Argentina.

    “Eu saúdo este acordo”, diz a Senadora Maria Amélia, “embora o tenha criticado muito, porque não é possível que em plena atualidade do Mercosul demore dois anos na gaveta de um Ministério um acordo desta importância na relação com a Argentina.”

    A Carteira de Trânsito Vicinal Fronteiriço vai ter validade de 5 anos.

    Tags:
    Polícia Federal, Ana Amélia, Dilma Rousseff, Paso de Los Libres, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik