04:48 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, durante a entrevista coletiva em Moscou, 14 de janeiro de 2016

    Chancelaria russa denuncia ‘manobras sujas’

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Mundo
    URL curta
    7321

    A chancelaria russa realizou na quinta-feira (14) a entrevista coletiva semanal na qual comentou maiores desenvolvimentos internacionais de últimos tempos.

    A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, comentou a detenção de três cidadãos russos na Turquia após os ataques em Istambul.

    A diplomata disse que um dos detidos é Aydar Suleymanov, que é também acusado na Rússia de ligações com o grupo terrorista Daesh.

    “É caso quando os extremistas acusados de terrorismo na Rússia, infelizmente, durante muitos anos, e vemos isso, sentem-se bastante bem em território dos países estrangeiros”, destacou Zakharova.

    A diplomata frisou que a Turquia e outros países que cooperam no âmbito da Interpol sabiam sobre as suas ligações com terroristas.

    A chancelaria russa disse que entre as vítimas dos atentados que aconteceram em Jacarta não há cidadãos russos.

    Zakharova afirmou que as acusações do chanceler francês, Laurent Fabius, que disse que a Rússia alveja infraestruturas civis na Síria são estranhas e mal-fundadas.

    “Os objetivos russos na Síria são transparentes”, acrescentou Zakharova.

    A representante da chancelaria russa também destacou que a Turquia, que ecoa as declarações do chanceler francês, usa “manobras sujas”.

    “É surpreendente que as autoridades a chancelaria deste país [Turquia] degradou-se até que recorrem a algo que podemos dizer que são manobras sujas, como acusar o nosso país de massacre de crianças, mulheres e idosos na Síria”, sublinhou Zakharova.

    Cimeira de segurança no Oriente Médio em Bahrein
    © AP Photo / Hasan Jamali
    Segundo Zakharova, a Turquia “realiza um jogo clandestino na região promovendo os seus estreitos interesses conjunturais”. Ancara aspira a alterar a configuração étnica no norte do país sob o pretexto de luta contra o Daesh.

    “Condenamos tal linha política destrutiva que leva à mais escalação na região, apelamos aos trabalhos construtivos no âmbito dos esforços internacionais”, frisou a diplomata.

    Segundo Zakharova, a Rússia está prestes a contribuir para o processo de reconciliação nacional no Afeganistão.

    Tags:
    terrorismo, civis, aviação, operação russa, Daesh, Síria, Turquia, Afeganistão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar