06:57 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Agentes das Forças de Segurança do Afeganistão e os soldados norte-americanos

    Relatório da OTAN vazado mostra impotência do exército afegão

    © AP Photo/ Rahmat Gul
    Mundo
    URL curta
    Afeganistão entre OTAN e Talibã (109)
    3122

    Um relatório secreto da OTAN recentemente vazado revelou a situação séria de incapacidade do exército do Afeganistão de proteger o seu país.

    A respetiva informação foi divulgada pela revista alemã Der Spiegel. Apesar dos bilhões de dólares investidos no exército do Afeganistão, ele não está pronto para combater contra o grupo terrorista Talibã, que se fortaleceu muito no ano passado.

    "No total, em todo o país, apenas um dos 101 batalhões de infantaria é considerado ‘pronto para combater’ e 38 unidades têm ‘grandes problemas’", divulgou a publicação citando o relatório.

    De acordo com este último, dez batalhões, quer dizer cerca de 600 soldados, estão completamente inoperacionais.

    O general Campbell, que desde agosto de 2014 chefia a missão dos EUA no Afeganistão, declarou que, dos 17 batalhões estacionadas nas províncias de Cabul e Kandahar, só 12 estão operacionais, mesmo assim em grau limitado.

    Cabul, localizado no centro do país, e Kandahar (no sul do país) são as duas maiores cidades do Afeganistão, e o Talibã tem realizado ataques nestas duas cidades nas últimas semanas.

    O grupo radical reivindicou a responsabilidade pelos três atentados na capital afegã que mataram cinco civis e feriram pelo menos 56. Em 9 de dezembro, durante o ato terrorista do Talibã no aeroporto de Kandahar, muitas pessoas foram também mortas. 

    Constatando a falta de prontidão de combate, o relatório segredo da OTAN também revela muitas baixas nas tropas, não só por morte mas também por deserção.

    "Estatisticamente, em 2015 o Exército Nacional Afegão (ANA) perdeu 22 soldados diariamente. Com mais de 8.000 mortes em um ano, as perdas subiram 42 por cento em comparação com o ano anterior," diz-se no relatório.

    Ainda de acordo com este, um número elevado de soldados não só deixam as fileiras do exército, como também passam para o Talibã. Assim, o exército afegão perde um terço dos seus soldados.

    Em dezembro de 2014, os EUA e a OTAN terminaram a missão de combate ISAF (Força Internacional de Assistência para a Segurança) que estava realizando operações contra terroristas, além de treinamentos e assistência às forças de segurança do Afeganistão.

    Após a missão ISAF ter terminado, uma missão mais limitada chefiada por Campbell esteve prestando apoio à OTAN, e o Talibã retomou grandes áreas do Afeganistão. Atualmente o grupo terrorista controla mais território do que em qualquer momento desde 2001, quando a invasão liderada pelos Estados Unidos derrubou o governo de então.

    Tema:
    Afeganistão entre OTAN e Talibã (109)
    Tags:
    exército, relatório, Talibã, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik