08:04 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Aviação russa realiza ataques localizados contra instalações dos terroristas na Síria

    ‘EUA precisam aprovar estratégia de Putin na Síria’

    Ministério da Defesa da Rússia
    Mundo
    URL curta
    494871562

    Segundo a revista americana National Review, Washington deveria aceitar uma verdade desconfortável: o presidente russo, Vladimir Putin, adotou a estratégia certa na Síria.

    Aceitar a postura do Presidente Vladimir Putin na Síria é uma necessidade desconfortável que Washington deveria reconhecer para poder estruir o Daesh, escreveu o jornalista Jay Hallen em um artigo publicado pela revista americana National Review.

    Segundo Hallen, é "compreensivelmente difícil" para o governo Obama alinhar-se publicamente com a Rússia, "mas o mínimo que podemos fazer é dar nosso apoio tácito."

    "Isto significa que deveríamos parar de criticar incessantemente as atividades russas na Síria e evitar medidas de obstrução, como persuadir Grécia e Bulgária a fecharem seu espaço aéreo a aviões militares russos", escreveu Hallen.

    O autor afirma ainda que a aprovação a política do Presidente Putin na Síria é uma de três "verdades desconfortáveis que o governo Obama deve reconhecer para solucionar a questão na Síria.

     

    Além da estratégia de Putin na Síria, as outras questões que Washington teria dificuldade para engolir envolvem “a admissão de que o Oriente Médio era mais seguro e estável com Saddam Hussein e Muammar Kadhafi no poder" e o fato de que "a política estrangeira realista triunfou sobre a política idealista, pelo menos no Oriente Médio."

    Partindo desses três pontos, Hallen chega à conclusão de que neste momento, é necessário que os EUA se alinhem ao presidente sírio, Bashar Assad.

    "Apoiar Assad, portanto, é aceitar que nossos objetivos idealistas são inalcançáveis e que apenas o duro realismo pode apoiar nossos interesses estratégicos, pelo menos no Oriente Médio", escreveu o autor.

    Em seu ponto de vista, apoiar Assad "é o único caminho realista" que ajudará no processo de retorno da estabilidade pré-Primavera Árabe à região e na destruição do Daesh.

    "Ninguém está mais motivado para destruir o Daesh do que Assad, que gostaria de vingança pelas atrocidades que o Daesh cometeu contra soldados sírios capturados", apontou Hallen.


    Mais:

    EUA esperam renúncia de Assad do poder em março de 2017
    Previsão do FT para 2016: petróleo supera $50, Assad fica, Merkel se demite
    Porta-voz: Putin não falou com Kerry sobre condição de participação de Assad nas eleições
    Seymour Hersh: Pentágono passou informações em segredo a governo Assad
    Como Bashar Assad, 'ditador' e 'assassino' no Ocidente, tem tanta popularidade na Síria?
    Assad 'agradece' ao Ocidente por o 'deixar' liderar o seu país
    Tags:
    verdade, estratégia, National Review, Daesh, Estado Islâmico, Bashar Assad, Barack Obama, Vladimir Putin, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik