07:03 19 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1111
    Nos siga no

    Terroristas do Daesh, também conhecido como Estado Islâmico, já mataram 837 mulheres em Mosul, no Iraque, desde que tomaram a cidade, segundo relatório do departamento de polícia de Nínive.

    Comandante da polícia de Nínive, Zanuon al-Sabawi disse em entrevista coletiva que as mulheres executadas eram ex-candidatas ao parlamento iraquiano, integrantes de conselhos de províncias e funcionárias de instituições médicas e educacionais.

    As mulheres e outras vítimas foram mortas por suposta deslealdade do califado, espionagem ou recusa a jurar aliança ao Daesh.

    Mosul é a maior cidade sob controle do Daesh. Ela fica localizada 400 quilômetros ao norte de Bagdá e foi escolhida pelo governo como próximo alvo das forças armadas iraquianas — após retomar a cidade de Ramadi.

    O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, disse nesta segunda-feira que o Daesh seria derrotado em 2016 e que o exército estaria se preparando para avançar na direção de Mosul. "estamos chegando para libertar Mosul e será o golpe fatal e final contra o Daesh", declarou em discurso de louvor à vitória em Ramadi.

    Mais:

    Primeiro-ministro do Iraque: 2016 será o último ano do Daesh
    Iraque diz ’não’ ao apoio turco para liberar Mossul
    Exército do Iraque combate Daesh no centro de Ramadi
    O que a miss Iraque tem a ver com jihad sexual? Nada!
    Tags:
    mulheres, execuções, terrorismo, Estado Islâmico, Daesh, Haider al-Abadi, Ramadi, Mosul, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar