10:01 23 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Forças de segurança do Iraque se preparam para avançar ao centro da cidade de Ramadi, Iraque, 24 de dezembro de 2015

    Primeiro-ministro do Iraque: 2016 será o último ano do Daesh

    © Sputnik/ Stringer
    Mundo
    URL curta
    593

    O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, disse na segunda-feira (29) que o próximo ano será o ano de vitória das forças do Iraque sobre o Daesh.

    As forças iraquianas retomaram o controle de Ramadi, capital da província a oeste de Bagdá, que foi conquistada pelos terroristas em Maio. É a primeira grande vitória do exército iraquiano depois do fracasso 18 meses atrás.

    “2016 será o ano de uma vitória grande e final quando a presença do Daesh no Iraque será terminada. Pretendemos liberar Mosul e isso será um golpe fatal e final para o Daesh”, disse Abadi no seu discurso transmitido na televisão estatal.

    Mosul que é a maior cidade no norte do Iraque também é o centro mais povoado no autodeclarado califado do Daesh no Iraque e na Síria.

    O fato de que as forças iraquianas retomaram Ramadi, capital da província de Anbar dominada pelos sunitas situada no Vale do rio Eufrates, priva o Daesh duma das suas consecuções mais importantes de 2015.

    Os militantes tomaram a cidade em maio depois de as tropas governamentais sofreram duma derrota. Depois disso Washington teve de revisar a sua estratégia contra o Daesh no Iraque.

    Tendo cercado a cidade os militares iraquianos lançaram uma operação de liberar Ramadi na semana passada e conseguiram tomar o conjunto de edifícios administrativos no domingo.

    Oficiais de segurança iraquianos declaram que ainda é preciso expulsar grupos de terroristas de algumas partes da cidade.

    O Exército do Iraque se tornou a força principal na liberação de Ramadi enquanto a milícia xiita que dominou em outras operações não participou da operação para evitar confrontos com a população sunita da cidade. 

    Tags:
    primeiro-ministro, vitória, exército, terrorismo, Daesh, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik