04:16 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Copresidente do Partido da Democracia dos Povos da Turquia, Salahaddin Demirtas, durante o encontro com o chanceler russo, Sergei Lavrov, Moscou, 23 de dezembro

    ‘Ninguém lucrou do abate do Su-24’

    © Sputnik / Aleksei Kudenko
    Mundo
    URL curta
    7332

    O copresidente do Partido da Democracia dos Povos da Turquia, Salahaddin Demirtas, afirmou que o incidente do Su-24 foi um erro e que o governo turco percebe isso.

    “Esta tensão nas relações foi o resultado da decisão errada do governo do Partido da Justiça e Desenvolvimento. Até o presidente e o primeiro-ministro [da Turquia] admitiram, mesmo antes de nós, que foi um erro”, afirmou.

    Segundo Demirtas, as declarações incoerentes da liderança turca mostram que a Turquia entende que cometeu um erro grave e que não quer travar guerra contra ninguém. Durante a conferência climática em Paris tentaram encontrar com Putin e ainda até o momento atual aspiram a organizar conversas telefônicas com os líderes russos.

    Na opinião do copresidente do partido pró-curdo, o incidente do Su-24 não deu vantagens à nenhuma parte mas somente prejudicou a Turquia.

    “Se me derem pelo menos um exemplo de que lucro tirou a Turquia do abate do avião russo, pedirei desculpas pelas minhas palavras”, afirmou Demirtas.

    O político turco disse que a crise nas relações bilaterais criou uma situação difícil muitos grupos da sociedade turca mas o governo faz nada para melhorar a situação. Por isso, segundo Demirtas, foi obrigado a visitar a Rússia para estreitar os laços com a Rússia.

    Comentando as palavras do primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, sobre que os representantes do partido de Democracia dos Povos da Turquia cometeram uma traição nacional visitando a Rússia e encontrando com o chanceler russo, Sergei Lavrov, Demirtas disse que o primeiro-ministro deve desistir das palavras que pode lamentar no futuro.

    Demirtas sublinhou que agora entre os países do Oriente Médio a Turquia conseguiu não deteriorar as relações somente com os dois países – o Qatar e a Arábia Saudita. Os contatos com os outros são muito tensos ou não existem. Tudo isso aconteceu “graças à política ‘bem-sucedida’ da liderança turca”, afirmou.

    O bombardeiro Su-24 foi derrubado sobre a Síria em 24 de novembro por um míssil ar-ar disparado de um caça turco F-16 em resposta a uma suposta violação do espaço aéreo da Turquia. As autoridades de defesa russa e síria confirmaram que a aeronave nunca cruzou o limite da Síria.

    Em resposta ao incidente, Moscou introduziu um conjunto de sanções contra Ancara. As medidas proíbem ou restringem as atividades das organizações turcas na Rússia e impedem que os empregadores russos contratem cidadãos turcos, medidas que deverão ter efeito a partir de 1 de janeiro de 2016.

    Tags:
    relações bilaterais, crise, avião, cooperação, curdos, Su-24, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar