10:00 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Aviação russa realiza ataques localizados contra instalações dos terroristas na Síria

    Daesh conheceu o 'inferno' em Homs com ataques de caças russos e sírios

    Ministério da Defesa da Rússia
    Mundo
    URL curta
    Aviação russa combate terrorismo na Síria (111)
    8302

    Os terroristas do Daesh (grupo terrorista também conhecido como Estado Islâmico) em Homs conheceram o “inferno” nesta segunda-feira (21), segundo publicou a agência iraniana FARS. O Exército sírio relatou que a aviação do país, em operações conjuntas com caças russos, realizou dezenas de ataques na região, especialmente na cidade de Maheen.

    As autoridades militares sírias informaram que os aviões da Síria e da Rússia normalmente realizam ações separadamente. No entanto, em alguns casos as aeronaves dos dois países trabalham em uma mesma operação contra alvos terroristas.

    Os bombardeios russos desta segunda-feira aconteceram próximos a Palmira, Al Quariatain e Maheen, enquanto os sírios se concentraram perto da recém-libertada aldeia de al-Hadath e na grande aldeia de Hawareen. Segundo o Exército leal a Damasco, muitos militantes terroristas morreram nos ataques, que também destruíram instalações, veículos e depósito de armas do Daesh.

    Tema:
    Aviação russa combate terrorismo na Síria (111)

    Mais:

    Como Bashar Assad, 'ditador' e 'assassino' no Ocidente, tem tanta popularidade na Síria?
    Rússia disparou 20 mísseis de cruzeiro desde início da operação na Síria
    Conselho de Segurança aprova resolução sobre processo de paz na Síria
    Obama: Casa Branca informou mal a população sobre operações contra Daesh
    França pedirá à Rússia para intensificar atividades contra o Daesh
    Exército sírio destrói posições do Daesh em Latakia
    Tags:
    inferno, posições, operações, caças, bombardeios, ataques, terroristas, mortes, aviação, Daesh, Exército, Estado Islâmico, Maheen, Al Quariatain, Palmira, Damasco, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik