00:47 14 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    22461
    Nos siga no

    O Estado-Maior russo anunciou nesta terça-feira (15) que desde 30 de setembro, o grupo da aviação russa na Síria já destruiu 1.200 caminhões de combustível que transportavam petróleo ilegal do Daesh, grupo terrorista autodenominado Estado Islâmico (também conhecido como ISIS ou ISIL).

    "Desde o início da operação, as aeronaves russas destruíram mais de 1.200 desses caminhões", disse o tenente-general Sergei Rudskoy, chefe do Diretório Operacional Principal do Estado-Maior Geral das Forças Armadas russas, em um comunicado.

    "Os ataques aéreos russos continuam a concentrar-se em destruir fontes de receita ilegal para os terroristas na Síria", acrescentou o oficial.

    Segundo ele, seis campos petrolíferos ilegais controlados pelos jihadistas, bem como sete colunas de caminhões de combustível que transportavam produtos petrolíferos foram destruídos nos últimos três dias.

    "Ao longo das últimas semanas, a intensidade dos ataques [russos] contra alvos do Daesh e outros grupos terroristas foi aumentada. A aviação russa continuou a dar prioridade a minar as fontes de renda dos terroristas na Síria", declarou.

    No início de dezembro, o Ministério da Defesa da Rússia divulgou imagens de satélite mostrando caminhões de petróleo concentrados na fronteira turco-síria como evidência do contrabando ilegal de petróleo da Síria para a Turquia.

    O vice-ministro da Defesa russo, Anatoly Antonov, acusou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan e sua família de envolvimento direto no comércio de petróleo ilícito realizado pelo Daesh.


    Mais:

    Exército Livre da Síria disposto a conceder dados à Rússia para combater Daesh
    Companhias suíças são pegas exportando petróleo ilegal do Daesh
    Filho de Erdogan nega envolvimento em contrabando de petróleo do Daesh
    Rússia: EUA têm todos os meios para verificar o contrabando de petróleo do Daesh
    Tags:
    petróleo ilegal, campo de petróleo, aviação russa, ataques aéreos, Daesh, Ministério da Defesa, Estado Islâmico, Sergei Rudskoi, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar