18:33 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    42531
    Nos siga no

    A Síria reagiu ao posicionamento tomado pela comunidade internacional diante do atentado terrorista que matou pelo menos 22 pessoas e feriu outras 70 em Homs neste sábado (12). O Ministério das Relações Exteriores enviou uma carta ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e ao Conselho de Segurança condenando o silêncio sobre o ataque.

    “O silêncio prolongado e a falta de condenação de tais ataques terroristas tornam-se uma fonte de apoio aos terroristas, que são resguardados externamente. Eles são financiados por um número de Estados e estão sendo ajudados com treinamento, armamento e moralmente. O braço terrorista veio de muitos países ao redor do mundo”, disse o ministério em um comunicado.

    No começo do dia, um grupo de terroristas detonou um carro-bomba perto de um hospital no centro de Homs. Síria. A explosão aconteceu perto de um cilindros de gás, o que provocou uma segunda explosão. Várias casas e lojas foram danificadas como resultado das duas explosões.

     “Estamos fornecendo assistência de emergência. No entanto, as pessoas estão gravemente feridas aqui e outros ainda estão vindo. Um monte de feridos começaram a chegar após a segunda explosão”, relatou uma fonte do hospital à RIA Novosti logo após o atentado.

    A agência iraniana SANA publicou que o carro levava aproximadamente 150 kg de explosivos e que o primeiro-ministro da Síria, Wael Nader Al-Halqi, havia condenado pelo Twitter as explosões, mas sublinhado que os ataques não iriam afetar a trégua e a luta contra o terrorismo no país.

    Este foi o maior ataque terrorista em Homs durante os cinco anos de crise síria.

    Tags:
    silêncio, comunidade internacional, mortos, terrorista, feridos, explosões, emergência, treinamento, armas, apoio, atentado, hospital, ataque, Nações Unidas, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Wael Nader al-Halqi, Ban Ki-moon, Homs, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar