00:38 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin na cúpula G20 na Turquia

    Mídia alemã: Putin tem todas as cartas no pôquer contra a Turquia

    © REUTERS/ Kayhan Ozer/Pool
    Mundo
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    428393482

    O jornal alemão Frankfurter Rundschau comparou as atuais relações turbulentas entre a Rússia e a Turquia a um jogo de pôquer em que o Presidente Putin tem todas as cartas.

    A má relação entre a Turquia e a Rússia remete a um jogo de pôquer em que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, não tem nenhuma carta decente, escreveu jornal alemão Frankfurter Rundschau (FR) no domingo (6).

    "Felizmente, ainda se trata apenas de palavras e sanções econômicas, como a proibição russa de importação de frutas e legumes da Turquia, que Erdogan chamou de ‘risível’", nota o autor do artigo, Frank Nordhausen.

    "A ordem de Putin para os turistas deixarem de visitar a Turquia é menos divertida", continua o FR, salientando que Ancara tem poucos meios para responder as medidas da Rússia, postas em prática depois que os caças turcos derrubaram um bombardeiro russo Su-24 sobre a Síria no último dia 24 de novembro.

    "Putin ainda não jogou o seu trunfo mais forte. A Turquia é dependente do gás natural russo para 54 por cento do seu abastecimento energético, e a Rússia tem o contrato para construir a primeira usina de energia atômica da Turquia", observa a publicação alemã.

    O jornal lembra que, embora ele ainda não tenha decretado novas medidas contra Ancara, o presidente russo disse que a resposta da Rússia ao ataque não vai se restringir a um boicote aos produtos e ao turismo da Turquia, e que ele espera que a Turquia peça desculpas pelo incidente. O governo turco, até agora, insiste que não vai se desculpar, alegando que o bombardeiro russo teria invadido o espaço aéreo da Turquia.

    "Os europeus devem agir para ajudar a tirar Erdogan da armadilha em que ele se meteu”, prossegue o artigo. "Se o abate do Su-24 foi concebido para ser um aviso a Moscou, ele saiu pela culatra. Como disse um comentarista turco, ninguém dança com o urso russo com impunidade".

    Ainda de acordo com o FR, os temores de Ancara em relação ao quase autônomo Estado curdo na Síria, bem como no norte do Iraque, e a retaliação da Rússia ao abate de seu bombardeiro estão levando a Turquia a reforçar suas tropas em suas fronteiras, “com o dedo no gatilho".

    Nordhausen adverte que uma situação tão fratricida deve ser resolvida com a ajuda das nações europeias. Atualmente, em Istambul, o escritor diz ter sido lembrado dos idos tempos imperiais na última sexta-feira (4), pela passagem de um navio russo através do Estreito de Bósforo onde um soldado mascarado estava de pé sobre o deck, equipado com um MANPAD (sistema de defesa aérea portátil), um sistema de míssil superfície-ar em seus ombros.

    "Os dois países ainda não estão atirando contra os soldados uns dos outros tão frequentemente como eles fizeram durante a rivalidade secular entre os impérios Otomano e Russo. Mas o guerreiro do MANPAD no Bósforo deveria avisar a Turquia de quão pouco a separa de uma ‘guerra quente’" ressaltou o autor do artigo.

    Segundo ele, as potências europeias, que deram ao presidente turco uma impressão de fraqueza devido à crise dos refugiados, devem agora se levantar e defender Ancara, a fim de evitar a escalada ainda maior da situação.

    "Os europeus devem agir, no seu próprio interesse, para ajudar o presidente turco a sair da armadilha em que ele se meteu A União Europeia pode fazer isso a partir de uma posição de força, já que a Turquia é dependente dela agora mais do que nunca", opinou o jornalista.

    "Na crise de refugiados, Erdogan aprendeu que a Europa é fraca e pronta a sacrificar os valores fundamentais, como a liberdade de imprensa, o pluralismo e os direitos humanos, se o trabalho sujo for feito em troca. A crise turcorrussa é a sua oportunidade inesperada de provar que ele estava errado", concluiu Nordhausen.

    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)

    Mais:

    Ex-general: incursão de tanques turcos no Iraque cria problemas para toda a região
    Iraque: Daesh contrabandeia todo o petróleo através da Turquia
    Especialista: EUA estão por trás da ocupação ilegal do Iraque pela Turquia
    Turquia pode introduzir sanções contra a Rússia, ameaça premiê
    Tags:
    energia, pôquer, boicote, caça, refugiados, crise de imigrantes, fronteiras, retaliação, curdos, turismo, sanções, MANPADS, gás, Su-24, Frankfurter Rundschau, Frank Nordhausen, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Império Russo, Império Otomano, Estreito de Bósforo, União Europeia, Síria, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik