16:47 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Participante do protesto contra as ações turcas em frente da embaixada russa em Moscou empunha o cartaz com a inscrição Náo vou à Turquia

    Turquia pode perder $9 bilhões em quebra de relações com a Rússia

    © Sputnik/ Aleksandr Vilf
    Mundo
    URL curta
    41268172

    A Turquia pode perder até 9 bilhões de dólares se as relações com a Rússia chegarem ao pior cenário. A declaração é do vice-primeiro-ministro turco, Mehmet Simsek, em entrevista para a TV local.

    “Nós consideramos a Rússia como um parceiro importante e não queremos tensão. Desde o primeiro dia da crise, nós discutimos todos os aspectos e estamos prontos para agir, se a Rússia se recusar a manter o diálogo. Sob o pior cenário, a Turquia perderia cerca 9 bilhões de dólares. Isto é cerca de 0,3-0,4% do nosso PIB. Mas eu espero que o diálogo seja mantido”, disse o vice-primeiro-ministro. 

    Simsek acrescentou que as autoridades da Turquia discutiram planos sobre como responder às sanções da Rússia no setor econômico. 

    "As medidas relacionadas com a dependência turca da Rússia no setor energético foram elaboradas. Eu enviei propostas para o primeiro-ministro. O número de turistas da Rússia caiu para 603 mil, e há um abrandamento no setor da construção", afirmou.

    As relações russo-turcas se têm deteriorado após o incidente de 24 de novembro, quando um avião de combate da Turquia abateu um bombardeiro russo Su-24 na Síria. Moscou impôs sanções econômicas contra Ancara após o ataque, citando a crescente ameaça terrorista originária da Turquia.


    Mais:

    Turquia pode deixar de comprar petróleo e gás à Rússia
    Irã tem provas das vendas de petróleo do Daesh à Turquia
    Medidas de Moscou contra a Turquia são apoiadas por 99% dos russos
    'Turquia fornece armas a grupos terroristas'
    Turquia não quer fechar fronteira por onde entraria petróleo dos terroristas
    Como é que a Turquia negocia com Daesh?
    Tags:
    incidente aéreo, PIB, economia, relações, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik