18:37 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O presidente da China, Xi Jinping, cumprimenta o presidente do Zimbabwe e da União Africana, Robert Mugabe, diante do presidente da África do Sul, Jacob Zuma.

    Xi Jinping abre Rota da Seda na África

    © REUTERS/ Siphiwe Sibeko
    Mundo
    URL curta
    121308180

    No decorrer das visitas ao Zimbábue e à África de Sul, foram firmados acordos de 7 bilhões de dólares em cada um dos países. Em resultado, na cúpula do Fórum de Cooperação China-África, com a participação de 48 países do continente, Xi Jinping anunciou o investimento de 60 bilhões de dólares em projetos transcontinentais em África.

    Este é o maior pacote de investimento chinês no continente africano. No decorrer da missão de Xi Jinping, foram acordados mais de 60 projetos conjuntos e programas. As áreas abrangem a modernização da agricultura, construção de infraestrutura, melhoramento na esfera financeira, restruturação de dívidas, liberação do comércio e investimentos, política ambiental, eliminação da pobreza e desenvolvimento da medicina e trocas humanitárias. O maior contrato foi fechado com a empresa estatal ferroviária da África do Sul.

    Xi Jinping frisou que a cooperação com a África visa melhorar a imagem internacional do continente e elevar as relações bilaterais a uma nova etapa. 

    Por sua vez, o chanceler chinês, Wang Yi, refutou as críticas por parte do Ocidente e da elite política de uma série de países africanos que acusam a China de neocolonialismo.  O ministro salientou que a China nunca faz pressão política, intervém nos assuntos internos ou faz as pessoas fazer o que eles não querem ou não podem fazer. A China tem como objetivo a cooperação vantajosa para todos, afirmou Wang Yi.

    A especialista russa em assuntos africanos do Instituto da África, Tatiana Deich, não considera as ações da China no continente como neocolonialismo, embora não negue que muitos chineses moram e trabalham na África, que as empresas chinesas substituem os empresários locais:

    “Há muitas falhas, mas os líderes dos países africanos consideram que as vantagens são maiores… [A China] é uma 'pedra no sapato' daqueles que não fazem tanto na África ou que foram substituídos lá pela China. A China dá um grande apoio à África – linhas de crédito, créditos em condições favoráveis com longo período de amortização. Estes créditos são concedidos quando o Ocidente ignora abertamente as necessidades e pedidos da África”.

    Alguns anos atrás, a China ultrapassou os EUA e a UE e se tornou a principal parceiro comercial da África. A circulação de mercadorias entre eles atingiu 22 bilhões em 2014, os investimentos foram de 32, 4 bilhões de dólares. Sem dúvida, o intercâmbio vai crescer ainda mais depois da visita de Xi Jinping.

    O novo pacote dos investimentos chinês em África constitui 74 bilhões de dólares. Este é um dos resultados da missão africana do presidente chinês Xi Jinping.
    O novo pacote dos investimentos chinês em África constitui 74 bilhões de dólares. Este é um dos resultados da missão africana do presidente chinês Xi Jinping.

    Mais:

    China estreita investimentos nos países do centro e do leste europeu
    China financiará duas centrais nucleares na Argentina
    Tags:
    cooperação, investimentos, Wang Yi, Xi Jinping, Zimbábue, África, África do Sul, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik