00:13 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Voluntários vestem fatos de proteção durante treinamentos para responder a ataques químicos, Aleppo, Síria

    Daesh pretende usar armas de destruição em massa na Europa

    © AFP 2017/ JM LOPEZ
    Mundo
    URL curta
    273999518

    A União Europeia e os seus estados-membros devem estar preparados para a hipótese de um ataque com armas químicas e biológicas no seu território pelo Daesh (também conhecido como Estado Islâmico), segundo o relatório analítico preparado pelo Parlamento Europeu.

    O Daesh pode planejar “uma tentativa de usar armas de destruição em massa internacionalmente proibidas nos seus ataques no futuro”, segundo o documento do Parlamento Europeu, preparado pela analista política Beatrix Immenkamp a seguir aos atentados em Paris do último mês.

    Os extremistas recrutaram um leque de cientistas e já foram contrabandeadas armas químicas e biológicas para a Europa. O atentado pode incluir o uso de bombas nucleares sujas e armas biológicas ou químicas, avisa o relatório.

    Anualmente são registrados cerca de 150 casos de tráfico de armas nucleares e radiológicas porque o grupo terrorista continua travar uma guerra contra o Ocidente. Substâncias químicas, biológicas, radiológicas e nucleares (QBRN) têm sido carregadas sem ser detetadas para a União Europeia, nota a autor. Os relatórios mensais da inteligência do Interpol mostram vários exemplos de aquisição, contrabando ou posse de substâncias QBRN.

    Os serviços de inteligência foram avisados para monitorar militantes que regressam na presença de “conhecimentos especiais sobre armas químicas, biológicas, radiológicas e nucleares”.

    “O Daesh recrutou e continua recrutar centenas de militantes estrangeiros, inclusive alguns com graus em física, química e ciências de tecnologia informática que, na opinião de especialistas, têm conhecimentos para construir armas letais com o uso de matérias-primas”, diz o documento.

    O relatório avisou que há riscos particulares de os terroristas poderem usar sarin, ricina ou carbúnculo.

    Desde o início de outubro de 2015, em resultado de atentados em Ancara, na península do Sinai, Beirute, Paris e Tunes, pelos quais o Daesh se responsabilizou, foram mortas cerca de 500 pessoas. Depois dos atentados mais recentes em Paris, o grupo terrorista ameaçou com novos atentados em cidades europeias.

    O Daesh avisou que os atentados futuros serão mais letais e mesmo mais chocantes. Isso levou a que especialistas avisem que o grupo pode planejar usar armas internacionalmente proibidas nos seus ataques no futuro.

    Tags:
    atentados, terrorismo, bomba nuclear, armas de destruição em massa, armas biológicas, Daesh, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik