01:26 24 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Um cartaz com uma imagem do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentado em Istambul, Turquia

    Saiba por que Erdogan não deveria pedir provas sobre envolvimento da Turquia com Daesh

    © AP Photo / Emrah Gurel
    Mundo
    URL curta
    46592

    Recep Tayyip Erdogan dramaticamente prometeu deixar o cargo se houver prova de que Ancara tem comprado petróleo do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico). Mas será que o líder turco realmente acredita que o presidente Putin vai fazer uma declaração não comprovada? Aqui estão, pelo menos, algumas das provas que Erdogan pediu.

    "Eu mostrei fotos tiradas do espaço e das aeronaves que demonstram claramente a dimensão do comércio ilegal de petróleo e produtos petrolíferos", Vladimir Putin disse a jornalistas em Novembro à margem da Cimeira do G-20 em Antalya.

    "Comboios de viaturas que se estende por dezenas de quilômetros, indo além do horizonte quando visto de uma altura de quatro e cinco mil metros", acrescentou o presidente russo.

    As imagens de satélite e fotos aéreas mostram a verdadeira escala do comércio de petróleo do Daesh:

    "Eu mostrei fotos tiradas do espaço e das aeronaves que demonstram claramente a dimensão do comércio ilegal de petróleo e produtos petrolíferos", disse Vladimir Putin a jornalistas em Novembro à margem da cúpula do G-20 em Antalya.

    "Comboios de viaturas que se estende por dezenas de quilômetros, indo além do horizonte quando visto de uma altura de 4-5 mil metros", acrescentou o presidente russo.

    A única coisa real é que o presidente Putin realmente se levantou diante das maiores potências econômicas do mundo e lhes disse que a Rússia sabe exatamente para onde o petróleo está indo.

    A Investigação do The Guardian sobre o fluxo de petróleo do Daesh na Turquia:

    "Depois de um ataque dos EUA contra o composto de um líder do Daesh (EI) na Síria, em maio, as relações diretas entre a organização terrorista e a Turquia tornaram-se inegáveis", escreveu o jornal em julho, referindo-se aos documentos apreendidos no complexo.

    "Após a morte de Abu Sayyaf, um oficial do Estado Islâmico responsável pelo contrabando de petróleo, em maio, um alto funcionário ocidental familiarizado com a inteligência obtida no composto de Sayyaf disse que as negociações diretas entre as autoridades turcas e os membros do Daesh eram agora inegáveis".

    "A partir de meados de 2013, o combatente da Tunísia Abu Sayyaf ficou responsável pelo contrabando de petróleo de campos do leste da Síria, que o grupo tinha até então requisitado. O petróleo no mercado negro tornou-se rapidamente o principal impulsionador das receitas do Daesh — e os compradores turcos eram os seus principais clientes", disse o jornal.

    Após as observações do Presidente Putin sobre o assunto, o jornal publicou outro artigo com a referência a uma "longa lista de provas de apoio turco ao Daesh (EI) na Síria, compilado pelo Instituto para o Estudo dos Direitos Humanos na Universidade de Columbia.

    Uma foto tirada em 25 de novembro de 2013 mostra plataformas de petróleo na cidade curda de Deriq (al-Malikiyah em árabe), na região de Hasakeh, na fronteira com a Turquia e o Iraque.

    Com base na evidência de uma variedade de fontes internacionais, incluindo The New York Times, The Washington Post, The Guardian, The Daily Mail, BBC, Sky News, bem como fontes turcas, CNN Turk, Hurriyet Daily News, Taraf, Cumhuriyet, e radikal entre outros, o documento confirmou que:

    "A Turquia fornece equipamentos militares para o Estado Islâmico, a Turquia fornece transportes e assistência logística para os combatentes do EI, a Turquia forneceu treinamento para os combatentes do EI, a Turquia oferece cuidados médicos para os combatentes do EI, a Turquia dá suporte financeiro através da compra de petróleo, as forças turcas estamos lutando Juntamente com ISIS".

    Mais:

    Rússia reforçará fronteira marítima com a Turquia
    Primeiro-ministro russo assina decreto para implementar sanções à Turquia
    OTAN premia Erdogan com novas armas antiaéreas instaladas na Turquia
    Ex-chanceler da Áustria culpa a Turquia por queda do caça russo na Síria
    Turquia bloqueia navios russos em estreitos do mar Negro ou não?
    Turquia prende mais de mil refugiados a caminho da Europa
    Tags:
    Estado Islâmico, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Síria, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik