16:03 18 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA

    Pentágono espera que os mísseis ar-ar russos não sejam usados contra a coalizão dos EUA

    © flickr.com/ Andrés Feliciano
    Mundo
    URL curta
    37331

    Washington considera que os mísseis ar-ar, instalados nos caças russos, tornarão mais complexa a situação na Síria e espera que estes não sejam disparados contra a coalizão liderada pelos EUA, disse à agência Sputnik nesta segunda-feira a porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Michelle Baldanza.

    As Forças Aeroespaciais da Rússia anunciaram nesta segunda-feira que os Su-34 russos passarão a realizar voos em missões de combate na Síria equipados não só com bombas, mas também com mísseis ar-ar.

    “Estamos cientes dessa informação. Como eu já disse antes, sistemas desse tipo tornarão ainda mais difícil a complexa situação nos céus da Síria e não contribuirão em nada para a luta com o Estado Islâmico, que não possui força aérea”, comentou Baldanza.

    “Esperamos que, se a Rússia adotar mesmo os mísseis, seja cumprido o nosso memorando de entendimento referente à segurança de voos. Que esses sistemas não sejam voltados contra as aeronaves da nossa coalizão”, adicionou a porta-voz do Pentágono.

    Na semana passada, os militares norte-americanos manifestaram a mesma preocupação em relação à instalação do sistema antiaéreo russo S-400 na Síria. 

    Os sistemas antiaéreos na Síria, bem como a adoção de mísseis ar-ar em missões de aeronaves russas, foram implementados após a derrubada do Su-24 russo pela Força Aérea da Turquia. O bombardeiro russo abatido participava de uma operação contra os terroristas do Estado Islâmico. Um piloto morreu.

    Mais:

    Putin: Su-24 foi derrubado para proteger transporte de petróleo contrabandeado
    Avião com o corpo do piloto do Su-24 russo aterrissa em Moscou
    Rússia impõe restrições econômicas contra a Turquia, após derrubada de Su-24
    Tags:
    Su-34, Su-24, S-400, Estado Islâmico, Pentágono, Michelle Baldanza, Turquia, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik