15:33 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    5352
    Nos siga no

    O avião russo Su-24 que foi abatido quando sobrevoava o território sírio foi localizado no espaço aéreo da Síria, segundo declarou o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov.

    "Até agora nós e o Ministério da Defesa não sabíamos a razão da queda do avião de combate. Sabemos claramente que o avião se encontrava no espaço aéreo sírio", disse.

    Ele sublinhou que o primeiro comunicado do Ministério sobre a queda do avião foi baseado em informação preliminar.

    O porta-voz reafirmou que, antes da queda, o avião foi localizado voando sobre o território da Síria, como já foi indicado no comunicado do departamento militar russo e apelou a ter paciência até que a razão exata seja estabelecida.

    "Seria errado fazer quaisquer suposições agora e fazer declarações até que tenhamos o quadro completo. Porém, nós devemos ter paciência. O incidente é muito sério, mas é impossível dizer algo sem a informação completa", declarou Peskov.

    Segundo o porta-voz do Kremlin, o presidente russo Vladimir Putin poderá fazer declarações sobre a queda do avião militar russo Su-24 durante a reunião nesta terça-feira (24) com o rei da Jordânia, Abdullah II bin Al-Hussein.

    A representante oficial do Ministério do Exterior russo, Maria Zakharova, publicou um post na sua página na rede social Facebook, também sublinhando a necessidade de investigar o caso.

    “Quando o Ministério da Defesa da Rússia publicar informação adicional, que poderemos compartilhar com a mídia, vamos fazer isso imediatamente”.

    Получаю много вопросов и просьб прокомментировать крушение российского самолета над территорией Сирии. Обращаю вниман…

    Posted by Maria Zakharova on Tuesday, 24 November 2015
    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    Tags:
    Rússia, Turquia, Síria, Vladimir Putin, Dmitry Peskov, Abdullah II, Su-24, avião
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar