23:20 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Aviação russa combate terrorismo na Síria (111)
    19771
    Nos siga no

    Com auxílio aéreo da Rússia, Exército da Síria ruma para livrar as ruínas de Palmira das mãos de terroristas.

    O Exército sírio, auxiliado por helicópteros de ataque russos, executou um ataque contra militantes do Estado Islâmico escondidos na montanha al-Hayal, localizada a apenas alguns quilômetros de distância de Palmira, segundo relatos da imprensa local.

    Um grupo de combatentes terroristas tentou fugir do campo de batalha pela cordilheira, mas foi aniquilado pela artilharia síria.

    As forças restantes do Estado Islâmico na região continuam resistindo e utilizando uma rede de cavernas nas montanhas para se proteger dos ataques.

    O Exército sírio, por sua vez, conseguiu retomar o controle de regiões a oeste de Palmira, o que significa mais um golpe forte contra o movimento jihadista.

    Segundo a Zvezda TV, as tropas sírias estão apenas esperando ordens para começar uma grande ofensiva contra o Estado Islâmico em todas as frentes.

    A antiga cidade de Palmira é um sítio arqueológico importante e está na lista de sítios de Patrimônio Mundial da UNESCO. Desde que tomaram a cidade, em maio, os militantes do Estado Islâmico que atualmente controlam a cidade destruíram vários monumentos históricos, como os antigos templos de Bel e Baalshamin.

    Tema:
    Aviação russa combate terrorismo na Síria (111)

    Mais:

    Tropas sírias avançam a 2km de Palmira, dezenas de militantes mortos
    Caças russos ajudam tropas sírias a avançar em direção à estratégica cidade de Palmira
    Exército sírio retoma região na província de Aleppo e avança na direção de Palmira
    Estado Islâmico explode antigo Arco do Triunfo em Palmira
    Tags:
    sítio arqueológico, monumentos históricos, terrorismo, montanhas, tropas, Patrimônio da Humanidade, helicópteros, Exército da Síria, Estado Islâmico, UNESCO, Palmira, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar