02:50 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    4402
    Nos siga no

    Analisando a situação atual, uma analista do jornal Forbes opinou que, caso a Rússia continue jogando as suas cartas da mesma forma, as sanções poderão ser levantadas e o país terá novos investimentos estrangeiros.

    A analista Shellie Karabel do jornal norte-americano Forbes escreveu no seu recente artigo que a Rússia tem possibilidade de ganhar muito com a situação atual no mundo, inclusive com o levantamento das sanções.

    Em meio da operação russa contra o grupo terrorista Estado Islâmico na Síria e os atentados em Paris, que mostraram a todos a necessidade de combater os islamistas, a Rússia está na posição certa para mostrar ao mundo não só o seu ponto de vista, mas também o poderio militar que o país tem historicamente, opina a jornalista.

    Um Tu-122 da Força Aeroespacial da Rússia no céu da Síria
    © Sputnik / Screenshot: Ministério da Defesa da Federação da Rússia
    Até aos recentes ataques na capital francesa, os líderes mundiais tinham dúvidas sobre a necessidade de aderir ao plano proposto por Putin de criação de uma ampla coalizão para combater o terrorismo, representado primeiramente pelo grupo Estado Islâmico, juntando todas as forças que se oponham ao grupo terrorista, inclusive forças dos exércitos sírio e iraquiano, combatentes curdos e países da região. 

    Na altura da primeira apresentação da proposta, os EUA e os seus aliados que já faziam parte da coalizão contra o EI (a eficácia de seus ataques ainda deve ser provada e os números de vítimas, especialmente entre civis, ainda não foram anunciados, segundo declaram autoridades russas e de outros países e várias organizações não governamentais) apelaram à necessidade de mudar o regime político sírio. Ignorando a ameaça à segurança não só ao Oriente Médio, mas ao todo o mundo, os líderes pareciam ter mais interesse em atingir seus alvos políticos, econômicos e talvez geopolíticos.

    Mas agora a retórica mudou, o que claramente mostra a decisão do presidente francês, François Hollande, de realizar visitas a Washington e Moscou, sublinha a autora da Forbes.

    Então, segundo a analista norte-americana, agora a Rússia tem possibilidade de ganhar muito – em outras palavras, a espectativa das elites russas é que, além de finalmente ser entendida, pode contar com o levantamento de sanções econômicas, o fim da guerra midiática sem precedentes, que ainda foi intensificada com o início da campanha aérea russa contra terroristas do EI na Síria, e talvez mesmo o reconhecimento de escolha democrática do povo da Crimeia sobre a decisão de aderir à Rússia.

    Tema:
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    Tags:
    política internacional, terrorismo, Estado Islâmico, Vladimir Putin, Europa, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar