16:16 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    2392
    Nos siga no

    O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Liu Zhemin, voltou a criticar a invasão norte-americana ao colocar navios a menos de 12 milhas náuticas de ilhas do país asiático no mar do Sul da China. Ele disse neste domingo (22) que a ação dos EUA é uma provocação política “em nome da liberdade de navegação”.

    Zhenmin destacou, às margens da cúpula da 27ª da Associação das Nações do Sudeste Asiático, em Kuala Lumpur, na Malásia, que o principal propósito norte-americano é testar como a China irá reagir a este tipo de provocação.

    No dia 26 de outubro, o destróier norte-americano USS Lassen invadiu águas territoriais chinesas se aproximando das ilhas Spratly. Mesmo alertada, a embarcação seguiu viagem gerando grande tensão entre os EUA e a China, que reivindica sua soberania sobre a região, rica em pesca e minerais e uma importante rota comercial.

    O Ministério das Relações Exteriores chinês reagiu dizendo que o fato era uma provocação e aconselhou os EUA a pensar duas vezes antes de suas ações. A chancelaria afirmou, ainda, que “a embarcação ameaçou interesses de soberania e segurança, colocaram pessoas e estabelecimentos em risco e danificaram a paz e a estabilidade local”.

    Tags:
    EUA, China, Pequim, Malásia, Kuala Lumpur, Mar da China Meridional, Ilhas Spratly, Liu Zhenmin, Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), USS Lassen, segurança, ameaça, invasão, soberania, tensão, disputa, destroier, provocação, águas territoriais, liberdade de navegação
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar