18:47 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro britânico David Cameron

    Rússia adverte Grã-Bretanha contra destruição da soberania síria

    © AP Photo/ Virginia Mayo
    Mundo
    URL curta
    53426

    O primeiro-ministro britânico David Cameron disse no início desta semana que ele preferiria ter o apoio da ONU para as operações militares britânicas na Síria, mas acrescentou que temia que a Rússia usasse o seu poder de veto para bloquear a resolução da ONU.

    A Grã-Bretanha deve iniciar um diálogo com o Conselho de Segurança da ONU sobre o seu plano para estender os ataques aéreos do Reino Unido contra o EI na Síria, disse o Ministério do Exterior russo no sábado (21).

    "Se ela [a Grã-Bretanha] quer fazer avançar as suas ideias através do Conselho de Segurança deve… dar ordem a seu embaixador nas Nações Unidas para iniciar consultas, inclusive com a Rússia", disse a porta-voz do Ministério, Maria Zakharova.

    Ela ressaltou que a Rússia nunca vetou iniciativas "sensíveis", se correspondessem à lei internacional, mas advertiu que a operação do Reino Unido na Síria não deve procurar "destruir a soberania da Síria".

    A mídia britânica citou David Cameron no parlamento nesta quarta-feira (18) onde este disse que a aprovação do Conselho de Segurança da ONU não era vital para a operação do Reino Unido, que mesmo assim seria legal, e que o governo está disposto a proteger os seus cidadãos.

    Mais:

    Bashar Assad: Estado Islâmico não nasceu na Síria
    Tags:
    terrorismo, Conselho de Segurança da ONU, David Cameron, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik