07:08 23 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Um jovem sai da sala de concertos Bataclan após atentado em Paris, na noite de 13 para 14 de novembro

    Ataques em Paris: Como o Estado Islâmico escolheu os alvos

    © REUTERS / Philippe Wojazer
    Mundo
    URL curta
    Capital francesa sofre pior atentado da história (68)
    211

    Os seis lugares escolhidos como alvos dos terroristas em Paris mostram um ataque deliberado contra a vida quotidiana dos parisienses comuns, segundo avalia a imprensa francesa.

    Os alvos escolhidos pelo Estado Islâmico na capital da França não eram pontos famosos visitados por turistas, mas bares, restaurantes, uma sala de concertos e um estádio frequentados por parisienses comuns, o que revela a tentativa de trazer o caos e o medo à vida cotidiana da população francesa.

    Em sua declaração de responsabilidade, o Estado Islâmico descreveu Paris como "a capital das abominações e perversões". Neste sentido, segundo o jornal francês 20 minutes, o objetivo da organização extremista foi atacar os locais onde os moradores da cidade costumam ir para se divertir.

    De fato, ao abrir fogo em bares e restaurantes nos populares 10º e 11º distritos de Paris na noite de sexta-feira, os atacantes miraram nos jovens que estavam apenas curtindo o início do fim de semana.

    "O Bataclan, o restaurante Le Petit Camboja e o bar Le Belle Equipe estão todos localizados dentro de um raio de menos de 1,5 km da sede do Charlie Hebdo. O 11º distrito tinha desde então se tornado um dos principais lugares da memória parisiense, incluindo a Praça da República, coberta com mensagens para as vítimas", relata a publicação francesa.

    "A área, incluindo as sinagogas, também estava sob vigilância militar dia e noite desde os acontecimentos de janeiro passado. Mas a vida do bairro, os fins de semana festivos, haviam se reafirmado".

    "Os terroristas suicidas queriam mostrar que eles ainda poderiam tocar em um lugar simbólico que estava sob o controle da polícia, pelo menos na aparência", afirmou o jornal.

     "Ataques em Paris: Por que estes lugares, por que estes alvos?"

    O 20 minutes explica que a sala de concertos Bataclan – onde a banda americana Eagles of Death Metal tocava para 1,5 mil pessoas na hora do ataque – já tinha sido anteriormente alvo de ameaças por parte de militantes islâmicos. Em agosto, um francês de 30 anos que havia retornado da Síria foi preso e, mais tarde, admitiu durante o interrogatório que um comandante no país árabe havia lhe pedido para realizar um ataque em uma ou mais casas de espetáculos quando ele retornasse para a França.

    O Estado Islâmico chegou a se referir ao Bataclan como “uma festa de perversão para centenas de idólatras”, segundo relata o jornal. “Em 2011, um militante revelou aos serviços de inteligência franceses que havia planos de atacar o local ‘porque seus proprietários eram judeus’. Em meados dos anos 2000, [a casa] foi usada como um lugar de encontro para organizações judaicas, o que lhe valeu inúmeras ameaças".

    Três homens-bomba se explodiram do lado de fora do estádio de futebol Stade de France, depois de um deles ter sido barrado na entrada para o amistoso entre França e Alemanha, que seria disputado no local.

    Manu Saadia escreve na revista Fusion que a escolha do Stade de France também foi simbólica, um ataque contra a França moderna e contra as tentativas de promover a unidade nacional e o pluralismo.

    "Aquele estádio em particular é um dos poucos lugares onde a promessa de uma França mais integrada é realizada, ainda que apenas de forma intermitente", disse ele.

    "O time de futebol francês, conhecido como ‘Les Bleus’, é o paradigma do ideal 'black-blanc-beur’ [preto, branco, árabe]. A equipe nacional é a meritocracia republicana em ação, e ela funciona. O Stade de France é o lugar onde uma equipe francesa liderada pelo argelino-francês Zinedine Zidane ganhou o maior troféu no esporte, a Copa do Mundo, em 1998", lembrou Saadia, descrevendo o estádio como um monumento ao sucesso multiétnico.

     

    Tema:
    Capital francesa sofre pior atentado da história (68)

    Mais:

    Bélgica faz busca por homens armados em conexão com ataques de Paris
    Primeiro-ministro ucraniano aproveita a tragédia de Paris para atacar a Rússia
    Interpol tinha apresentado acusações contra terrorista envolvido em ataques em Paris
    Tags:
    Eagles of Death Metal, escolha, alvos, ataques terroristas, Le Belle Equipe, Le Petit Camboja, Bataclan, Stade de France, Charlie Hebdo, Estado Islâmico, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik