21:41 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Capital francesa sofre pior atentado da história (68)
    14138
    Nos siga no

    O primeiro-ministro ucraniano Arseni Yatsenyuk fez uma tentativa de expressar palavras de compaixão e apoio às famílias das vítimas dos ataques terroristas em Paris, mas não conseguiu. De fato ele culpou a Rússia mais uma vez; desta vez por "encorajar o terrorismo global".

    O chefe do governo ucraniano expressou as suas condolências às famílias das vítimas e daqueles que sofreram os ataques em Paris mas, mais uma vez, não podia deixar de mencionar a "ameaça russa" para qual virou as suas acusações.

    Na sua declaração na Internet, supostamente destinada a mostrar solidariedade com a França, ele recordou a situação com a Crimeia e Donbass, falando sobre algumas imaginárias "ameaças feitas pelo Kremlin", acusando Moscou de "incentivar o terrorismo global".

    O primeiro-ministro também afirmou no seu tweet que, desde 2014, a Ucrânia "foi vítima do imperialismo e terrorismo russo". 

    Yatsenyuk, em seguida, assumiu um tom quase poético ao declarar que o seu país é capaz de parar qualquer inimigo que tente subjugar a Ucrânia, pois "a essência de tal inimigo é a vacuidade. Sua força é pó e cinzas". 

    Tema:
    Capital francesa sofre pior atentado da história (68)

    Mais:

    Ucrânia construirá muro no mar para se defender da Rússia
    Putin: massacre em Paris evidencia barbaridade do terrorismo
    França já prendeu 23 pessoas suspeitas de ligação com atentados em Paris
    Putin: EUA possibilitam fornecimento de armas letais à Ucrânia
    Ucrânia para de importar energia elétrica da Rússia
    Tags:
    vítimas, atentado, terrorismo, Estado Islâmico, Arseni Yatsenyuk, Paris, Rússia, França, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar