11:04 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Caças russos em uma base aérea perto de Latakia

    Líder da Coalizão Nacional Síria exige retirada de aviões para visitar Rússia

    © Sputnik / Dmitriy Vinogradov
    Mundo
    URL curta
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    49268
    Nos siga no

    Presidente da Coalizão Nacional para a Revolução Síria e Forças de Oposição, Khaled Khoja afirmou nesta sexta-feira que só viajará a Moscou para futuras reuniões sobre a reconciliação síria se a Rússia retirar seus aviões de combate da Síria.

    “Não viajarei a Moscou até que o governo russo retire sua aviação da Síria e reinicie um processo político nos moldes de Genebra”, disse à Sputnik antes de uma nova rodada de negociações, marcada para começar neste sábado, em Viena.

    A Síria vive uma guerra civil desde 2011, com as forças do governo de Bashar Assad combatendo grupos de oposição e terroristas como o Estado Islâmico e a Frente Nusra. 

    Os diferentes grupos em combate já se reuniram duas vezes nos últimos três anos, em Genebra. 

    Moscou está ativamente envolvida na busca de uma solução política para a guerra síria e sediou duas rodadas de negociações entre diferentes grupos sírios em 2015. Representantes do governo e de grupos de oposição estiveram à mesa.

    No dia 30 de setembro, caças russos iniciaram uma série de ataques aéreos contra posições terroristas a pedido do Presidente Bashar Assad. 


    Tema:
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)

    Mais:

    Putin: Rússia usou informações do Exército Livre da Síria
    Vladimir Putin e Xi Jinping conversarão sobre Síria e península coreana durante o G20
    Caças russos atingem 289 alvos de terroristas na Síria
    Operações russo-sírias em Deir ez-Zor matam importantes comandantes do Estado Islâmico
    Tags:
    guerra civil, solução política, negociações, retirada, caça, Coalizão Nacional da Síria, Kremlin, Bashar Assad, Khaled Khoja, Viena, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar