04:13 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sede da ONU em Nova York

    ONU lutará contra sanções unilaterais

    © AP Photo / Osamu Honda, File
    Mundo
    URL curta
    3180
    Nos siga no

    A Assembleia Geral da ONU considerará, durante a sua sessão atual, o assunto da luta contra medidas econômicas unilaterais para exercer a pressão política sobre certos países.

    A resolução correspondente foi aprovada na quinta-feira (12) pelo segundo comité da Assembleia Geral da ONU que trata dos assuntos econômicos e financeiros. 117 países-membros da ONU apoiaram o documento, 51 dos Estados se abstiveram e somente dois países se expressaram contra a iniciativa – são os EUA e Israel.

    O projeto da resolução foi preparado pela África do Sul. O documento destaca que o uso de medidas econômicas unilaterais de coerção “tem efeito negativo sobre a economia e esforços na área de desenvolvimento, principalmente, dos países em desenvolvimento”.

    A Assembleia Geral apela a comunidade internacional a “condenar e rejeitar a imposição de uso de tais medidas como métodos de coerção política e econômica dos países em desenvolvimento” e pôr fim à prática de uso de tais medidas contra países em desenvolvimento que não são autorizadas pela ONU e não correspondem aos princípios do direito internacional.

    Há de dizer que a Rússia sucessivamente se manifesta contra a ideia de medidas econômicas unilaterais em relação a países em desenvolvimento. Segundo o conselheiro sênior da missão diplomática russa na ONU, Dilyara Ravilova-Borovik, tais medidas “minam o próprio direito de países ao seu desenvolvimento, obstaculiza a realização das suas responsabilidades para assegurar a prosperidade de população”. A representante russa destacou também que os países que recorrem a sanções econômicas unilaterais violam os princípios de soberania e não intervenção nos assuntos internos de outros países “não somente promovendo os seus objetivos políticos como aspirando a eliminar competidores no mercado”.

    Alexander Lukashenko, presidente da Bielorrússia
    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Ravilova-Borovik disse que países não suspendem esta prática destrutiva. Há muitos casos do uso de sanções não somente contra países em desenvolvimento.

    “Hoje a imposição de sanções unilaterais ignorando a Carta da ONU se tornou praticamente uma norma”, disse a representante.

    O exemplo mais demonstrativo de sanções contra o país em desenvolvimento é o caso de embargo imposto pelos EUA contra o Cuba em 1960. Além disso, o relatório do Secretário Geral da ONU sobre medidas econômicas unilaterais diz que entre os países, contra os quais foram introduzidas sanções unilaterais, são a Coreia do Norte, o Iraque, o Irã e a Rússia e Bielorrússia.

    Tags:
    países, economia, sanções, Assembleia Geral da ONU, ONU, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar