18:56 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Bombardeiro Su-24 decola a partir de aeródromo de Khmeimim na Síria

    Força Aérea russa destrói quase 500 instalações terroristas nos últimos três dias

    © Sputnik/ Dmitry Vinogradov
    Mundo
    URL curta
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    31498162

    O Ministério da Defesa da Rússia anunciou nesta terça-feira (10) que os ataques aéreos na Síria foram muito eficientes nos últimos três dias. Os caças russos fizeram 137 incursões e atingiram 448 alvos terroristas, incluindo depósitos de munições e morteiros.

    O porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov, disse que a Rússia havia realizado operações nas províncias de Aleppo, Damasco, Idlib, Rakka, Hama e Homs. Ele afirmou que a aviação russa destruiu não só as posições do Estado islâmico, mas também da Frente al-Nusra, filiada a Al-Qaeda.

    Enquanto isso, a Arábia Saudita, importante aliada dos EUA e rica em petróleo, está preocupada com dinheiro e planeja explorar os mercados obrigacionistas internacionais pela primeira vez.

    “A Arábia Saudita decidiu explorar os mercados obrigacionistas internacionais pela primeira vez, em um sinal dos danos que os preços mais baixos do petróleo estão infligindo às suas finanças públicas”, escreveu o Financial Times.

    A companhia petrolífera Saudi Aramco relatou que é importante para o país não perder suas quotas de mercado. No entanto, de acordo com a DWN, a Arábia Saudita já perdeu terreno: a participação russa na Ásia tem aumentado nos últimos meses, enquanto os sauditas sofreram graves prejuízos.

    A Arábia Saudita aparentemente não tem outra opção senão reconhecer o papel crescente da Rússia na região. Autoridades sauditas visitaram Moscou duas vezes ao longo dos últimos meses e chegaram a um acordo sobre a necessidade de cooperar e ter um diálogo sobre a questão da Síria.

    Tema:
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    Tags:
    caças russos, aviação russa, mercados obrigacionistas, terroristas, infraestrutura, instalações, mercado, ataque, petróleo, DWN, Saudi Aramco, Al-Qaeda, Frente al-Nusra, Estado Islâmico, Ministério da Defesa, Igor Konashenkov, Oriente Médio, Ásia, Homs, Hama, Rakka, Idlib, Damasco, Aleppo, EUA, Arábia Saudita, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik