03:58 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0320
    Nos siga no

    Os sistemas de defesa de mísseis de fabricação russa S-300 no Irã impedirão que os EUA exerçam pressão política sobre Teerã e reforçarão as posições da Rússia na região, especialmente num momento em que Moscou está liderando uma bem sucedida campanha de contraterrorismo na Síria, publicou o canal de TV Zvezda.

    “Os EUA entendem plenamente que armas russas e chinesas no Oriente Médio alteram drasticamente o equilíbrio de poder na região”, afirmou à emissora o diretor do Centro de Moscou para Análise de Estratégias e Tecnologias, Ruslan Pukhov.

    O S-300, que segundo especialistas é um dos melhores sistemas de defesa de mísseis do mundo, já demonstrou sua capacidade não somente para as forças armadas, mas também em termos políticos. O sistema serviu, por exemplo, como um potente impedimento na Síria em 2012, segundo o veículo.

    Três anos atrás, Washington decidiu não atacar as forças lideradas por Damasco, entre outras coisas, porque o Exército sírio tinha estas baterias de mísseis terra-ar em serviço. Os norte-americanos, de acordo com Zvezda, não queriam ver os S-300 em ação.

    Especialistas norte-americanos dizem que o sistema S-300 no Irã acabará por criar uma zona de exclusão aérea para os F-16 e F/A-18 sobre o país, observou o canal. Já os B-2s e F-22 são capazes de operar em áreas vigiadas pelo S-300 por uma quantidade limitada de tempo, visto que o sistema de defesa de mísseis de fabricação russa pode facilmente mudar a sua localização dentro de horas.

    “Este sistema de defesa antimísseis poderia negar o acesso ao espaço aéreo sobre o Golfo Pérsico. Poderia neutralizar quase completamente as capacidades militares da Turquia. Israel e Arábia Saudita perderão automaticamente a sua supremacia aérea e não serão capaz de realizar ataques aéreos na região, bem como em algumas partes da Síria”, observou Pukhov.

    Moscou e Teerã assinaram um acordo de US$ 800 milhões para a entrega de cinco sistemas de mísseis S-300 em 2007. Quatro anos depois, o Irã processou a Rússia no Tribunal de Arbitragem de Genebra depois da suspenção do contrato, em 2010, devido a uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que colocou um embargo de armas à República Islâmica.

    O presidente russo, Vladimir Putin suspendeu a proibição de entrega dos S-300 em abril de 2015, pouco depois do sexteto de negociadores internacionais e o Irã chegarem a um acordo nuclear para remover todas as sanções econômicas contra Teerã em troca de sua promessa de garantir que toda a pesquisa atômica no país será para fins pacíficos.

    Tags:
    Rússia, Irã, Moscou, Teerã, Golfo Pérsico, EUA, Washington, Turquia, Israel, Arábia Saudita, Síria, Genebra, Ruslan Pukhov, ONU, Nações Unidas, Conselho de Segurança da ONU, Tribunal Internacional de Arbitragem em Genebra, S-300, B-2s, F-22, F-16, F/A-18, sistema de mísseis, contraterrorismo, venda, negócio, compra, equilíbrio, estabilidade, pressão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar