06:07 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Local da queda do Airbus A321 no Egito

    Alemanha e Turquia suspendem voos para o Sinai após tragédia do avião russo A321

    Maxim Grigoryev
    Mundo
    URL curta
    111
    Nos siga no

    A companhia aérea alemã Lufthansa e a turca Turkish Airlines anunciaram nesta quinta-feira (5) que suspenderam o tráfego aéreo à península do Sinai, no Egito, por questões de segurança após a tragédia do avião russo que caiu no último sábado, matando as 224 pessoas que estavam a bordo.

    No último sábado, 31 de outubro de 2015, um Airbus A321 pertencente à empresa russa Kogalymavia (também conhecida como Metrojet) levantou voo que levaria 224 pessoas — 217 passageiros, inclusive 14 crianças, e sete membros da tripulação — da cidade balneária egípcia de Sharm el-Sheikh à cidade russa de São Petersburgo. Mas logo depois do início mesmo do seu trajeto, sobrevoando a península do Sinai, o bordo desapareceu dos radares e não devolvia sinal de contato. Em breve, a sua queda foi confirmada. Uma investigação internacional está em curso.

    As companhias aéreas subsidiárias da alemã Lufthansa, Edelweiss e Eurowings, foram criadas para voar duas vezes por semana para o resort Sharm El Sheikh, de onde o avião russo da Metrojet partiu. Assim, os voos para o Cairo não são afetados por essa medida.

    Já a Turkish Airlines disse que restringiu os voos que partem de Istambul, capital da Turquia. Além disso, a companhia aérea está enviando uma equipe de segurança para o resort para avaliar os procedimentos aeroportuários. 

    A Lufthansa afirmou ainda que está em contato com o escritório de Relações Exteriores da Alemanha e as empresas de viagens locais para organizar voos de regresso dos viajantes do resort.

    Na quarta-feira (4) o governo britânico afirmou que, segundo os dados “das várias fontes”, a queda do avião russo foi causada “muito provavelmente” pela bomba que ficava a bordo.

     

    Mais:

    Kremlin: Rússia não vai alterar postura relativa à Síria devido ao acidente aéreo do A321
    Caixas pretas do A321 são abertas
    Egito aponta falha técnica como motivo da queda do A321
    Avião russo A321 pode ter sido sequestrado
    Explosão a bordo do A321 aconteceu antes da colisão com terra
    Tags:
    avião, tragédia, A321, Turkish Airlines, Lufthansa, Sinai, Turquia, Egito, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar