08:19 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    9511
    Nos siga no

    Hillary Clinton, durante o tempo em que desempenhou o cargo de secretária de Estado dos EUA, recebeu regularmente um relatório especial sobre os programas do canal de TV russo Russia Today (RT), inclusive materiais sobre a situação na Síria.

    De 2009 a 2013, Clinton foi sempre informada sobre as publicações da mídia russa, segundo a correspondência da ex-secretária de Estado recém-publicada no site do Departamento de Estado, de acordo com a decisão de um tribunal norte-americano.

    Particularmente, em 13 de fevereiro de 2012, os conselheiros de Clinton enviaram a ela um fragmento da transmissão do RT sobre a crise na Síria como exemplo ilustrativo das palavras de Clinton sobre “a mídia semi-oficial que transmite fora dos seus países”.

    “Esta é uma ilustração do que na manhã de hoje S [secretária] falou durante a reunião com os seus A/S [adjuntos] sobre mídia semi-oficial que transmite fora dos seus países,” diz-se num e-mail divulgado.

    Na reportagem do RT sobre a crise síria de 12 de fevereiro de 2012, a especialista em política Adel Samara fala sobre o fato de que os EUA e Al-Qaeda têm os mesmos alvos na Síria.

    Apesar disso, em 18 de abril de 2012, o ajunto de Clinton Jacob Sullivan enviou a ela um e-mail sobre a gravação de estreia do programa de Julian Assange “The World Tomorrow” (“O Mundo Amanhã”) no canal russo. O programa tornou-se sensação e tema de discussão nas maiores mídias mundiais. Só no dia da estreia, 17 de abril, o programa liderou quatro vezes trands mundiais na rede social Twitter.

    Mais cedo, em 2011 a secretária do Estado norte-americano Hillary Clinton exigiu que o Congresso aumentasse o orçamento para transmissões fora do país, argumentando a opinião pelo fato de Washington estar “perdendo na guerra mediática” para tais canais como o RT.

    “Estamos em meio da guerra de informação e estamos a perdê-la. A Rússia lançou o canal em inglês, eu vi-lo em vários países e foi bastante instrutivo.”

    Tags:
    guerra midiática, guerra de informações, Hillary Clinton, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar