04:24 19 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    260
    Nos siga no

    A Ucrânia não passará no futuro sem ajuda financeira dos EUA e da UE, informa a agência Associated Press.

    É possível que os sonhos de Washington sobre a Ucrânia cuja economia se recupere depois da “revolução” de Maidan em 2014 e mudança do regime que seguiu um pouco mais tarde nunca realizarão e nos alguns próximos anos Kiev pode continuar dependendo da ajuda financeira norte-americana e europeia, destaca a Associated Press.

    Isso se relaciona com a visita à Ucrânia da Secretária de Comércio norte-americana Penny Pritzker que discutiu medidas tomando as quais Kiev podia passar sem financiamento ocidental.

    A sua visita se realizou depois de os EUA anunciarem que prestarão mais um bilhão de dólares em garantias de crédito sob a condição que o país realize uma série de reformas.

    O dinheiro será transmitido como um suplemento ao programa de ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional de 17,5 bilhões de dólares.

    Em entrevista à Associated Press, Pritzker elogiou a decisão de Washington sobre garantias de crédito como “um voto de confidência” em esforços da Ucrânia para resolver o beco sem saída econômica.

    Em relação disso, a Associated Press indicou uma agravação contínua das relações comerciais entre a Ucrânia e a Rússia que por muito tempo tem sido o maior parceiro comercial de Kiev.

    Segundo as mensagens, o volume de exportações de mercadoria ucranianas para a Rússia se reduziram à metade em comparação com o ano passado, “e substituir esta parte do comércio será difícil”, afirma a Associated Press.

    A agência noticiosa também citou uma queda significativa de exportações ucranianas para os EUA e a UE. Somente investimentos chineses para o setor agrícola da Ucrânia é um aspecto positivo.

    Ao mesmo tempo, a ministra das Finanças ucraniana, Natalie Jaresko, afirmou que reestabelecer o comércio com a Rússia até nível antes do conflito não está na agenda governamental. Segundo a ministra, o foco será uma integração europeia e global da Ucrânia mais ampla.

    Kiev e os seus aliados europeus e norte-americanos têm repetidamente acusado a Rússia de interferir no conflito armado no Leste da Ucrânia onde as tropas governamentais ucranianas realizam a chamada operação antiterrorista. Moscou, por sua vez, tem repetidamente refutado tais acusações, afirmando possuir interesse numa resolução rápida e pacífica do conflito no país vizinho.

    Tags:
    comércio, crise, finanças, dependência, Rússia, UE, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar