20:43 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Chanceler da Alemanha Angela Merkel

    Merkel recebe críticas do próprio partido pela política em relação aos imigrantes

    © AP Photo/ Markus Schreiber
    Mundo
    URL curta
    225

    A Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, foi criticada pelo próprio partido, União Democrata-Cristã (CDU), pela política adotada em relação aos imigrantes, informou a emissora alemã N24.

    Um dos participantes do encontro do partido, realizado na cidade de Schkeuditz, disse à emissora que “as pessoas não aguentam mais” o lema “Nós podemos fazer isso!” (Wir schaffen das!), adotado por Merkel quando se trata dos refugiados. Segundo membros do partido presentes na reunião, “a Alemanha caminhará para uma catástrofe nacional”, se o fluxo de imigrantes não cessar. 

    Angela Merkel anunciou que a crise de imigração abre possibilidade de “apreender sobre a globalização sob um outro ângulo”, escreveu a publicação Handelsblatt.

    Este ano, a popularidade do CDU atingiu níveis mais baixos desde as últimas eleições, realizadas em 2013, em função da política adotada para os imigrantes. 

    No início de outubro, a imprensa alemã divulgou novas previsões para o ano de 2015, ainda não confirmadas pelo governo. Segundo os jornais, a Alemanha receberá até o fim do ano o impressionante número de 1,5 milhões de refugiados, contra os 800 mil da previsão oficial. A Alemanha defende que os países da União Europeia adotem cotas para receber os imigrantes.

    Segundo a imprensa local, as pesquisas realizadas com a população demonstram que mais da metade dos alemães acha que o país está recebendo imigrantes demais. Somente um em cada três alemães acha que o seu país dará conta de receber mais refugiados.

    Segundo os últimos dados da agência de fronteiras da UE, Frontex, até o final de setembro, cerca de 630 mil imigrantes ingressaram na União Europeia. A Comissão Europeia declarou que a atual crise de imigração é o maior desde a Segunda Guerra Mundial.

    Tags:
    refugiados, imigrantes, imigração, CDU, Frontex, Angela Merkel, União Europeia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik