03:39 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos

    EUA começam a enviar tropas para Camarões

    © AFP 2019 / Nikolay Doychinov
    Mundo
    URL curta
    17328
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira (14) que Washington planeja enviar cerca de 300 militares norte-americanos para Camarões.

    Até agora, segundo a Casa Branca, 90 efetivos já chegaram ao país africano desde segunda-feira (12). Em carta às duas câmaras do Congresso, Obama afirma que as tropas norte-americanas conduzirão operações de inteligência, vigilância e reconhecimento na região, alvo constante de ataques por parte do grupo extremista islâmico Boko Haram.

    "Em 12 de outubro de 2015, aproximadamente 90 oficiais das Forças Armadas dos EUA começaram a ser enviados para Camarões com o consentimento do Governo de Camarões", afirmou Obama. "O número total de militares norte-americanos a ser enviado para Camarões está estimado em torno de 300", acrescentou.

    No último domingo (11), duas mulheres-bomba mataram pelo menos onze pessoas na cidade de Kangaleri, no norte de Camarões. Um dia antes, cerca de 40 pessoas foram mortas e 50 ficaram feridas em cinco explosões no vilarejo de Baga Sola, no oeste do Chade. Ambos os ataques foram atribuídos aos Boko Haram.

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou os atentados terroristas nos dois países, apelando para que os autores fossem levados à justiça e para que todos os Estados membros da ONU cooperassem ativamente com as autoridades locais durante a investigação.

    Obama, por sua vez, disse que os militares dos EUA permanecerão em Camarões "até que seu apoio não seja mais necessário".

    Em fevereiro, o Boko Haram expandiu seus ataques, a princípio concentrados na Nigéria, para os vizinhos Camarões, Níger e Chade, levando esses países a estabelecer uma força-tarefa conjunta multinacional. O grupo terrorista era afiliado da Al-Qaeda, mas este ano jurou lealdade ao Estado Islâmico. 

    Desde 2012, segundo o governo nigeriano, o Boko Haram já sequestrou mais de 45 mil pessoas.

    Mais:

    Parlamentar: hegemonia dos EUA chegou ao fim
    EUA se recusam a condenar ataque contra embaixada russa na Síria
    EUA se recusam a coordenar luta antiterrorista com a Rússia
    Tags:
    reconhecimento, vigilância, inteligência, atentados, ataques, terroristas, terrorismo, militares, tropas, sequestros, Al-Qaeda, Estado Islâmico, Boko Haram, Barack Obama, Chade, Nigéria, África, Camarões, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar